Translate

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Tomografia em estátua de Buda revela esqueleto humano em estado de meditação e intriga cientistas


Restos mumificados de um monge foram encontrados envoltos em uma estátua de Buda que remonta ao século 11 ou 12.
Erik Bruijn, especialista em Budismo, conduziu o estudo que determinou que a múmia foi do mestre Liuquan, que pertencia à Escola de Meditação Chinesa.
A tomografia computadorizada e outras análises foram realizadas pelo Centro Médico Meander do Museu Drents, na Holanda.

Antes da verificação, sabia-se que havia uma múmia dentro da estátua. Após a análise dos pesquisadores, eles descobriram que os órgãos do monge haviam sido removidos de seu corpo, segundo o blog Colossal.
Faixas de papel cobertos com escritas chinesas foram descobertas ao lado do monge. Após a verificação, a múmia foi levada para Budapeste, onde estará em exposição no Museu de História Natural Húngaro até maio de 2015.

De acordo com o International Business Times, muitos budistas praticantes acreditam que múmias, como a do mestre Liuquan, não estejam realmente mortas, e sim, em avançado estado de meditação.

Outros casos
Em janeiro, restos mumificados de um homem, aparentemente meditando na posição de lótus, foram descobertos na Mongólia. Acredita-se que a relíquia humana possua em torno de 200 anos de idade, e foi preservada na pele animal.
A especulação inicial é de que a múmia poderia ser um professor Lama, chamado Dashi-Dorzho Itigilov. Nascido em 1852, ele foi um Buryat Lama da tradição budista tibetana, sendo reconhecido pelo estado natural de seu corpo.