Translate

sexta-feira, 13 de março de 2015

A imprecisão do nome ‘Big Bang’ e suas hilárias alternativas




O astrônomo britânico Fred Hoyle não acreditava na ideia de que nosso universo se formou após uma rápida expansão há bilhões de anos, e, sarcasticamente, chamou este evento hipotético de “Big Bang”, em 1949. Era um nome cativante e, embora Hoyle desprezasse a teoria, ele involuntariamente ajudou a popularizá-la.
Será que alguém nomearia um programa de TV de “A teoria da elasticidade de todos os lugares” ou de “Universo homogênio de massa constante e raio crescente”?
Talvez não, mas alguns dizem que esses nomes descreveriam com mais precisão a teoria.
Georges Lemaître, um padre católico e astrônomo, foi o primeiro a dar forma à teoria do Big Bang. Ele escren veu um artigo que, traduzindo do francês, é intitulado “Um universo homogênio de massa constante e raio crescente representando a velocidade radial da nebulosa extragalática” (A hipótese do átomo primordial).
Na tirinha Calvin e Haroldo, o Big Bang é chamado de “O horrível boom do espaço”. No entanto, este título provavelmente não é muito mais preciso do que “Big Bang”.
Em 1993, a revista Sky and Telescope anunciou um concurso para renomear o Big Bang. Os juízes, entre os quais estava o famoso astrônomo Carl Sagan, resolveram que nenhuma das 13.099 sugestões foi melhor do que “Big Bang”. As sugestões incluíam Jurassic Quark (Quark, que é uma das partículas fundamentais da matéria, substitui a palavra Park em uma alusão ao filme Jurassic Park), The Grand Expansion (A Grande Expansão), The Bubble Hubble (A Bolha de Hubble), Portrait of the Universe as a Young Bam (Retrato do Universo como um Jovem Bam), e The Big Boot (A Grande Inicialização), de acordo com um artigo da Associated Press daquele ano.
Um modelo da teoria do Big Bang é chamado de Lambda-Cold Dark Matter (Lambda-Matéria Escura Fria), ou Lambda-CDM. “Ele é frequentemente referido como o modelo padrão da cosmologia do Big Bang”, de acordo com um estudo da Universidade de Heidelberg. “É o modelo mais simples que está em consenso com os fenômenos observados”. Lambda representa a constante cosmológica, associada na teoria de campo moderna, com a densidade da energia do vácuo.
O Lambda-CDM tenta explicar a existência da radiação cósmica de fundo em microondas (radiação presente no Big Bang que cientistas medem para entender o tempo logo após o Big Bang), a expansão do universo, a escala e a estrutura dos aglomerados de galáxias, e a distribuição de elementos no universo observável.
Assista abaixo (em inglês) o vídeo “MinutePhysics” para saber mais sobre a imprecisão do nome “Big Bang”.
MinutePhysics sugere “A teoria da elasticidade de todos os lugares”, como uma alternativa mais precisa para o fenômeno. Ele também sugere um nome mais preciso para “singularidade”, que é o ponto de tamanho pequeno e grande densidade do qual o Big Bang pode ter se originado. O MinutePhysics disse que a “singularidade” não é necessariamente singular no espaço e no tempo, e sugere, em seu lugar, um nome menos autoritário: “O ponto da elasticidade de todos os lugares em que não sabemos do que estamos falando.”