Translate

segunda-feira, 30 de março de 2015

HIEROS GAMOS


Instituição matrimonial entre deuses e mortais que começou por volta do fim da última Era Glacial.
Traços arqueológicos do Hieros Gamos são encontrados em todas as partes do mundo. Sinetes sumérios encontrados na cidade de Lagash, que floresceu no terceiro milênio antes de Cristo, mostram que um sacerdote do templo oficiava, com a cerimonia apropriada, o casamento sagrado de uma suma sacerdotisa com um rei. Para o rei, esse ato, quando realizado com consciência, teria o efeito de uma iniciação espiritual. Era uma tradição de Yoga Sexual ou Yoga Tântrica.
O rei era iniciado por meio da união sexual com a suma sacerdotisa, a qual representava a Grande Deusa. Por esse método de Despertar da Kundalini, ele também se tornava divino.
Muito tempo depois, num espírito de altruísmo, nos tempos pós-glaciais, a raça divina abrandou o tabu que havia tradicionalmente envolvido a comunidade de adeptos e passou a oferecer iniciação espiritual a membros escolhidos de raças inferiores, pela prática do matrimonio divino, criando assim um novo e aperfeiçoado tronco humano.
O Tema do Despertar da Kundalini em toda sua riqueza fez um caminho, sem ser percebido, em todas nossas mitologias, desde a alusão bíblica aos Filhos de Deus que se uniram com as filhas dos homens, passando pelos Nagas da Índia, uma Ordem Misteriosa de adeptos xamãs que têm uma serpente como animal totêmico, que teriam se acasalado com membros de famílias reais indianas, para aprimorar a estirpe governante.
O tema do Despertar da Kundalini também é o caminho iniciatico entre as modernas Ordens Ocultistas da nossa Era, desde Rosacruz, Maçonaria, Golden Dawn e Illuminati.
Sol Negro