Translate

terça-feira, 19 de maio de 2015

Teria vindo das estrelas nosso conhecimento ?


Há algo de errado em nosso passado longínquo que dista de nós, milhares e milhares de anos.
Há algo de errado em nossa Arqueologia! Por que estamos encontrando acumuladores elétricos que datam de muitos, milhares de anos?
Por que achamos números com quinze casas e nenhum computador os colocou ali?
Mas por que aqueles homens primitivos tiveram a capacidade de criar tantas coisas inacreditáveis?
A ânsia pela paz, a procura da imortalidade, a saudade das estrelas; tudo isso fervilha na consciência humana e procura desde tempos imemoráveis, irresistivelmente, tornar-se realidade.
É natural essa aspiração profunda implantada no ser humano?
São realmente só desejos humanos ou esconde-se atrás daqueles anseios de realização, daquela saudade das estrelas  algo bem diferente?
Não parece certo que a formação da inteligência humana tenha sido o resultado de um interminável desenvolvimento, pois esse processo, se realizou muito repentinamente. Provavelmente nossos antepassados receberam sua inteligência de seres superiores, os quais deviam dispor de conhecimentos que possibilitaram  esse processo em um curto prazo.
Desde os tempos pré-históricos, o homem já era fascinado  pela idéia de se elevar do solo terrestre para o ar.

Que diríamos a respeito do mapa de Piri Reis? Teria o seu cartógrafo executado o mapa durante um vôo? Apenas comparemos a foto da Terra tirada pela Apolo 8.


mapa de Piri Reis


O homem continuou buscando, aprendendo, se desenvolvendo. Criando e executando coisas que, se hoje não são impossíveis, nos garantem, pelo menos, uma dificuldade extrema.
A planície de Nazca, por exemplo, seria um campo de pouso para objetos voadores? Ou seria simples símbolo de significado religioso?



No interior do templo Maia em Palenque, o que se chamou de "o Astronauta Maia". Seria realmente um astronauta?



Na Porta do Sol, em Tiahuanaco, dez toneladas em um
só bloco. A lenda menciona uma espaçonave dourada que veio
das estrelas.



Na Bolívia, estradas de alvenaria para um povo que não
usava rodas.
E os achados vão se amontoando e deparamos com monumentos à nossa frente. O homem, na idade da pedra, conhecendo o espaço. Elevando templos e monumentos, lavrando toneladas de rochas com equipamentos primitivos.
Assim, só podemos perguntar: quando e de que maneira tornaram-se inteligentes nossos antepassados?