Translate

terça-feira, 16 de junho de 2015

HOLLANDA


Codinome usado pelo então capitão da FAB (Força Aérea Brasileira) Uyrangê Bolivar Soares Nogueira de Hollanda Lima durante a OPERAÇÃO PRATO que investigou o fenômeno conhecido como CHUPA-CHUPA no interior do Pará em 1977. Vinte anos depois, em outubro de 1997, Hollanda, que já estava na reserva com a patente de coronel, concedeu uma longa entrevista à revista UFO e contou tudo o que vira e ouvira durante aquela investigação. A princípio cético, Hollanda acabou se convencendo de que o fenômeno era mesmo real. Na entrevista, ele diz que avistou e fotografou dezenas de objetos de formato cilíndrico na região e chegou a classificar nove tipos diferentes de OVNI’s, incluindo sondas e naves-mãe. Hollanda também conta que, mesmo depois de ter encerrado a investigação, presenciou estranhos fenômenos paranormais na sua própria casa: louças que voavam, livros que caíam sozinhos da estante e até uma tentativa de ABDUÇÃO ALIENÍGENA no seu próprio quarto.


Um mês depois de ter dado a entrevista, o coronel Hollanda se enforcou na cidade de Cabo Frio, Rio de Janeiro, onde vivia. Na época, circularam boatos pela Internet de que o militar teria “sido suicidado”, pois suas revelações colocavam em risco a segurança nacional. A revista UFO, no entanto, desmentiu esses rumores na sua edição de janeiro de 2001. O coronel sofria de depressão e já tentara o suicídio outras vezes. Naturalmente, é possível que a depressão resultasse de seu contato com naves alienígenas, mas isso é pura especulação.