Translate

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Físico confirma o fato de Bob Lazar ter trabalhado em Los Alamos


Bob Lazar é o delator que alega ter trabalhado em engenharia reversa de espaçonaves extraterrestres na Área 51, o que tornou aquela base secreta famosa.+
As autoridades negaram as alegações de que ele tenha trabalhado para o governo como cientista, e, até agora, ninguém se manifestou ao contrário.+
Porém, numa entrevista recente um produtor de documentários compartilhou declarações dadas por um físico que trabalhou nos Laboratórios de Los Alamos, alegando ter encontrado Lazar em Los Alamos e confirmando que o mesmo estava empregado como físico.+
Lazar primeiramente começou a vazar informações para a imprensa sobre seu suposto emprego fazendo engenharia reversa, no final da década de 1980.+
Ele diz ter trabalhado numa base subterrânea chamada S-4, que fica ao sul da base principal da Área 51.+
No início ele apareceu em entrevistas com o jornalista investigador George Knapp, na KLAS News, uma afiliada da CBS em Las Vegas, sob um pseudônimo e com sua face escurecida.+
Depois, ele permitiu ser filmado sob a luz e compartilhou sua identidade verdadeira.  Enquanto isso, sua história, bem como a da própria base da Área 51, se tornaram famosas.+
Tornando o mistério ainda mais urgente foi o fato de que, na época, a existência da Área 51 era negada pelo governo dos EUA, embora a KLAS e outras agências de notícias de Las Vegas estavam investigando a base por anos.+
Lazar-P-e-R
Bob Lazar (esquerda) sendo entrevistado por George Knapp no 2015 International UFO Congress. (Credito: Open Minds Production)+
Tudo isso fez com que fosse aumentado ainda mais as lendas e a notoriedade da Área 51, tornando-a a mais secreta, bem como a mais famosa base do governo dos EUA.+
Lazar alega ter sido despedido por compartilhar informações sobre seu trabalho ultra secreto, e seus registros empregatícios de ter trabalhado como cientista, bem como os registros de sua educação universitária, foram apagados.+
A Base Nellis da Força Aérea, que administra a Área 51, bem como os Laboratórios de Los Alamos, outro lugar no qual Lazar alega ter trabalhado como cientista, negaram que Lazar trabalhou para eles.+
+
+
Pesquisadores também não encontraram registros que apoiassem as alegações de Lazar ter recebido graduação na Caltech e no MIT.  Eles nem mesmo puderam encontrar alguém que disse lembrar de ter sido colega de Lazar nessas escolas.
+
Este foi um dos tópicos de discussão no sábado à noite, no popular programa de rádio Coast to Coast AM.+
Knapp foi o anfitrião do programa, e o convidado foi Jeremy Corbell, um produtor de documentários, com vários filmes, um deles sobre Lazar.+
Knapp disse que tinha analisado a questão dos registros escolares:+
“Para mim, a questão chave é se Lazar realmente trabalhou ou não em Los Alamos.  Se ele trabalhou numa posição científica ou técnica, se teve acesso de segurança, então, eu penso, isso poderia justificar a ideia de que ele seria contratado para trabalhar num local como a Área 51.  Assim, essa realmente foi a questão central.”+
Knapp disse que sua investigação confirmou, para ele, que Lazar realmente trabalhou em Los Alamos:+
“[Los Alamos] negou ter tido registros.  Isto foi para frente e para trás por um par de anos.  Eu sei que ele estava lá.  Entrevistamos pessoas com quem ele trabalhou antes; nenhum deles queria se manifestar.  Encontramos seu nome numa lista telefônica [de Los Alamos].  Encontramos um artigo de jornal com ele na primeira página e sua foto dizendo ser um físico lá.  Sabemos que ele esteve lá.”+
Embora Knapp esteja certo que Lazar trabalhou como cientista em Los alamos, muitos ainda estão céticos.  A lista telefônica que ele mencionou não relaciona a posição que Lazar teria trabalhado em Los Alamos, e os jornais podem ser facilmente enganados.+
Isso, junto com o fato de que nenhum de seus colegas se manifestarem publicamente para apoiar as alegações de Lazar, deixaram muitas dúvidas se ele é mesmo um cientista.+
+
Porém, usando algumas técnicas inovadoras de pesquisa, Corbell foi capaz de descobrir uma testemunha disposta a se manifestar.+
Corbell diz que, ao pesquisar sobre as alegações de Lazar, usou um “bot” – um software que pode executar tarefas automatizadas na Internet – para pesquisar o Facebook por palavras chave.  Seu bot descobriu um comentário num grupo do Facebook, de um homem que disse que seu vizinho alegou ter trabalhado com Lazar.+
Cobell entrou em contato com o homem, que finalmente o colocou em contato com o vizinho, o qual era um físico legítimo que trabalhou em Los Alamos.+
Ele então perguntou ao físico, o Dr. Robert Krangle, se ele estaria disposto a aparecer em público com suas alegações, e ele disse sim.+
Corbell compartilhou alguns dos clips de som de uma entrevista com Krangle.  O Dr. Krangle disse ter trabalhado em diferentes períodos para Los Alamos na década de 1980, e ainda o faz ocasionalmente.+
“Eu fazia projetos, ou auxiliava na engenharia.  Seus engenheiros estavam tentando resolver um problema, e algumas vezes chegam a fechar um problema, assim, eles não podiam ver a floresta pelas folhas, portanto eles trazem pessoas como eu, um contato externo, para ver o que estava ocorrendo”.+
Krangle diz ter se formado no MIT em 1973, como físico de semi-condutores.+
Corbell diz ter encontrado um artigo que relaciona as credenciais de Krangle.  Este também mostrou sua identificação a Corbell, provando ter trabalhado em outras instalações com trabalho altamente técnico, tais como China Lake, Kirtland Air Force Base, Los Alamos, Sandia e as instalações de armazenamento de armamento Manzano.+
Corbell perguntou diretamente a Krangle se ele sabia se Lazar havia trabalhado como físico em Los Alamos, e Krangle disse que tinha certeza disso.+
Janet-area 51
Aeronaves sem marcações no McCarran International Airport, em Las Vegas, usadas para transportar funcionários para Área 51. (Crédito: Alejandro Rojas)+
“Ele era um físico… Nós nos reconhecemos uns aos outros, você sabe, é o clássico protetor de bolso com todas as canetas de diferentes cores apropriadas, assim ele se encaixa no molde.  Se ninguém tivesse me contatado, um olhar bastaria; ele é um físico.  Você sabe, ele está apropriadamente vestido comogeek“.+
Krangle também disse que Lazar participou de reuniões de segurança com ele.  Krangle explicou que nessas reuniões “eles davam as instruções usuais para não falar sobre o que você esta fazendo ou vendo“.+
Quanto ao que Lazar estava especificamente trabalhando, Krangle disse:+
“Eu não sabia o que ele estava fazendo, mais do que ele sabia o que eu estava fazendo.”+
Area-51-Alejandro-Rojas-warning sign
Sinais de alerta na entrada posterior da Área 51.  Uma caminhonete de segurança vigia do topo de uma colina (Crédito: Alejandro Rojas)+
Krangle também disse que compreendia o porquê dos empregadores de Lazar ficarem nervosos com ele.+
“Eu compreendo como Los Alamos atacariam ele. Ele cometeu um suicídio profissional.  Ele se separou e falou a respeito disso.  Dentro daquela comunidade de segurança há essa mentalidade: ‘Não fale a respeito do que você faz.’ “+
Knapp perguntou a Corbell o porquê de Krangle estar compartilhando esta informação, se ele sabia que poderia se complicar.+
Corbell disse que Krangle é “somente um daqueles renegados”.  Ele explicou que Krangle não mais dependia dos contratos em Los Alamos para viver, assim ele não estava preocupado com isso.+
Sem dúvida, os caluniadores das alegações de Lazar estão pesquisando a respeito do histórico de Krangle, mas pode ser que a dúvida se Lazar é um cientista, ou não, finalmente foi resolvida.+
A questão ainda permanece: Se Lazar realmente trabalhou em Los Alamos, por que eles estariam escondendo esta informação?+
O bizarro mistério da Área 51, S-4 e da tecnologia alienígena continua.+
Você pode ouvir ao Corbell no Coast to Coast AM com Knapp aqui.+
Você pode ouvir à entrevista de Corbell com Krangle aqui.+
Colaboração: SENAM+