Translate

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

NAZI-SATANISMO


O nacional-socialismo alemão (1934-1945) era apenas a expressão política de uma religião diabólica. Não, isso não é Star Wars. Isso é o que acreditam Louis Pauwels e Jacques Bergier, que dedicam grande parte do seu livro O Despertar dos Mágicos (Bertrand Brasil, 1991) ao “nazi-satanismo”. Segundo os autores, o füher Adolf Hitler (e outros líderes nazistas) acreditavam que a história do mundo era dividida em períodos de "lua alta” e “lua baixa”. Nos períodos de "lua baixa”, quando o satélite está mais próximo da Terra, surgem as raças de gigantes, os homens-deuses, das quais a humanidade é uma pálida imitação. Foram os gigantes que construíram as grandes civilizações desaparecidas (ATLÂNTIDA e a Ilha de Tule). A Lua que você vê aí em cima é a quarta a orbitar a Terra e foi “capturada" pelo planeta há 12 mil anos. Nos períodos de "lua alta", as criaturas se degeneram em anões medíocres (você, eu, nós, todo mundo). É a morte dos deuses. Mas os humanos, naturalmente, não são todos iguais, pensam os nazi-satanistas. Há raças inferiores e raças superiores. O destino das raças superiores é apressar a volta dos gigantes e, por meio de sacrifícios rituais (o holocausto), fazer com que a Lua se aproxime do planeta. Trazer os deuses de volta à Terra. Ok, parece a polca do ariano doido. Mas descobriu agora de onde Steven Spielberg tirou as idéias para as aventuras de Indiana Jones?