Translate

quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Livro reúne ensaios acadêmicos sobre o apocalipse zumbi


Dois professores universitários dos EUA acabaram de lançar uma publicação acadêmica sobre a eventualidade de um ataque zumbi. Eles querem descobrir como população e órgãos governamentais reagiriam no caso de mortos-vivos saírem pelas ruas atacando nós, pobres humanos. O livro não é nenhum tipo de brincadeira, foi publicado por uma editora acadêmica e na verdade funciona como uma metáfora para nossa capacidade de reação diante de qualquer tipo de catástrofe. 
O livro foi publicado por um casal de professores da Austin Peay State University, dos EUA: Dr. Antonio Thompson, que ensina História, e Dra. Amy Thompson, que dá aula de Biologia na mesma universidade.
Sim, os Thompson são fãs de Walking Dead. Amy disse que a ideia surgiu assistindo à série de TV, quando ela teve um estalo e percebeu que o programa não era sobre os zumbis, mas sim sobre os humanos. Em 2012 o casal estava em San Diego para apresentar um artigo acadêmico no Comic-Con, um dos maiores eventos de cultura pop do mundo - Antonio aproveitou a oportunidade para apresentar a ideia para os editores da Mc Farland Press, uma editora que se auto define como “uma liderança na publicação independente de livros acadêmicos e de não ficção”. Quer dizer, os Thompson assinaram um contrato para escrever um livro sobre zumbis com uma editora especializada em não ficção.
Mas, assim como Walking Dead, o estudo “But If a Zombie Apocalypse Did Occur: Essays on Medical, Military, Governmental, Ethical, Economic and Other Implications” (ou “Mas e se um apocalipse zumbi acontecesse: ensaios sobre implicações médicas, militares, governamentais, éticas, econômicas, entre outras”, em tradução livre) trata de humanos, não de zumbis. Além dos capítulos escritos pelo casal, eles também pediram para que acadêmicos das mais respeitadas instituições de ensino americanas enviassem ensaios avaliando como as diferentes esferas da socieadade reagiriam em situações como guerras, epidemias e desastres ambientais.
Os capítulos escritos pelo casal são baseados em suas respectivas especialidades acadêmicas.Antonio analisou filmes e livros com a temática zumbi sob a ótica da teoria política para falar de situações em que “o governo cai e um ditador maluco assume”. Já Amy escreveu sobre o nível de preparo dos CDC (Centros de Controle e Prevenção de Doenças) para atender a população durante situações calamitosas.
Via Inquisitr