Translate

terça-feira, 8 de setembro de 2015

Não será fechada: A nova vida do projeto HAARP

HAARP
O controverso e enigmático HAARP , gera muitas teorias de conspiração, o programa não será encerrado mesmo tendo sido oficialmente desmantelada pela Força Aérea dos EUA em junho do ano passado, dizem cientistas americanos.
Atualmente, o Programa de Pesquisa Aurora High Frequency Ativo  (HAARP, por sua sigla em Inglês) está aberto, mas seus transmissores estão desligados desde a Primavera de 2014, disse Bill Bristow, um pesquisador do Instituto de Geofísica do HAARP em entrevista para Alaska Dispatch News
Instalações HAARP consistem de uma cadeia de transmissores e antenas que são utilizados para aquecer a parte superior da atmosfera, a ionosfera. Os transmissores são capazes de criar uma aurora artificial e permitem converter a ionosfera num laboratório para estudar o comportamento das partículas e ainda mais algumas investigações.
Segundo a versão oficial dos EUA, o HAARP foi usado para estudar e melhorar as tecnologias de comunicação com experimentos em que fortes sinais são enviados para apara a atmosfera para medir seu efeito sobre as ondas de rádio. No entanto, muitos especialistas e políticos acusaram o programa de causar desastres  naturais, como furacões, tornados, inundações e terremotos. 
A partir de 2003-2014 HAARP realizou o equilíbrio entre as tarefas puramente científicos e estudos encomendados pela agência de projetos militares do Pentágono (Darpa). O último experimento patrocinado pelo Exército foi realizado no verão de 2014.
"Os militares tinham seus objetivos específicos, agora podemos nos dedicar a fazer ciência básica", diz Bill Bristow. No entanto, após o encerramento das experiências militares, o HAARP perdeu seu financiamento. Atualmente Bristow e seu colega Bob McCoy, diretor do Instituto de Geofísica da Universidade de Alaska Fairbanks, estão buscando "clientes": os cientistas que estão dispostos a pagar por experiências nas instalações HAARP, para que possam manter o projeto aberto.