Translate

quinta-feira, 17 de setembro de 2015

O oxigênio não é mais um indicador da existência de vida extraterrestre


Até agora os cientistas acreditavam que a presença de oxigênio na atmosfera de um planeta indicaria a existência de vida, bem como que todo o nosso oxigênio vem das plantas através da fotossíntese.  Bem, agora os cientistas descobriram outra causa possível para a presença de oxigênio em planetas extrasolares.  Eles dizem que o oxigênio pode ser produzido com um componente não biológico, chamado de oxido de titânio, o qual age como um catalisador para a reação da divisão de água em oxigênio e hidrogênio, com a ajuda da luz.

O estudo foi publicado no Scientific Reports em 10 de setembro de 2015.  O Professor Assistente Norio Narita, do Centro de Astrobiologia de NINS, e o Professor Associado Shigeyuki Masaoka, do Instituto de Ciência Molecular de NINS, publicaram que o oxigênio pode ter outras fontes além da fotossíntese.

Antes, os cientistas se baseavam na presença do oxigênio para suspeitar sobre a existência de possível vida. Mas agora eles descobriram que o oxigênio pode também ser produzido com um material chamado de óxido de titânio.  Este componente pode dividir as moléculas de água com a ajuda da luz sobre o oxigênio e o hidrogênio.  As característica deste componente não são uma nova descoberta, mas os cientistas não achavam que este componente poderia criar grandes quantidades de oxigênio.  Agora eles predizem que um planeta similar à Terra, com uma cobertura de oxido de titânio de somente 0,05%, poderia facilmente produzir a mesma quantidade de oxigênio encontrada na Terra hoje.  Este é um grande avanço no estudo de vida extraterrestre.

Dr. Narita disse: “Para procurar pela vida em planetas extrasolares através de observação astronômica, precisamos combinar o conhecimento de vários campos científicos e promover as pesquisas astrobiológicas, a fim de estebelecermos os decisivos sinais de vida.  Embora o oxigênio seja ainda um dos possíveis biomarcadores, é necessário olhar para novos biomarcadores além do oxigênio, a partir do resultado atual.”

Embora a notícia pareça ser desanimadora para aqueles que confiavam no oxigênio como biomarcador na procura por vida extraterrestre, como o próprio Dr. Narita menciona, o oxigênio pode não ser o único indicador.  Vale lembrar que nem sequer tocamos a ponta do iceberg do conhecimento sobre o que pode suportar a vida em mundos alienígenas.  Talvez, o que é veneno para nós, seja fonte de vida para ‘eles’… e vice-versa.
via,, ovni hoje

#Naty