Translate

terça-feira, 27 de outubro de 2015

Autoridade qualificada fala sem rodeios sobre UFOs

Ufos são tão reais quanto os aviões que passam sobre as nossas cabeças e isto me conferiu a dúbia honra de ser primeiro chefe de gabinete de um membro do G8 a falar algo assim publicamente” – Paul Hellyer, ex-ministro da defesa do Canadá.
Na condição de Ministro da Defesa recebi relatórios de avistamentos de UFOs, mas estava ocupado demais para me preocupar na época com este assunto. Eu me ocupava de unificar o Exercito, a Marinha e a Aeronáutica em uma força canadense, o que já era uma luta em si. Então, UFOs não estavam no topo da minha agenda.
Paul Hellyer serviu em três governos (Canadá) durante vinte e três anos e meio, a serviço do parlamento. 
Mas, alguns anos atrás comecei me interessar pelos UFOs. Um senhor de Ottawa me mandou material escrito sobre Ufologia, que prometi ler um dia. Tratava-se de uma copia do livro do Coronel Corso com o titulo “O dia depois de Roswell”. Fiz deste livro no verão de 2005 a fonte do meu interesse e fiquei impressionado pelas informações que extrai dele.
Nele havia assuntos importantíssimos que o povo da America e do mundo tinham direito de saber, porque o povo faz parte destes acontecimentos, porque não constitui parte isolada.
Assim, mediante confirmação posterior do que estava escrito no livro, feita por um general dos Estados Unidos, acabei aceitando o convite dos colegas Viggiani e Mike Bird para falar sobre este assunto, em um simpósio na Universidade de Toronto. 
Ali declarei que “UFOs são tão reais quanto os aviões que passam sobre as nossas cabeças e isto me conferiu a dúbia honra de ser primeiro chefe de gabinete de um membro do G8 a falar algo assim publicamente”.
Desde então aprendi muito de muitas fontes e de tantas testemunhas fantásticas que me deixaram pasmo e que também testemunharam e disseram nestes últimos quatro dias (nesta conferencia), o que sou grato a todas elas. Mas, por não ser ufólogo, sou um político, algumas poucas coisas apenas gostaria adicionar. 
Por exemplo, que em fins dos anos 60 uma flotilha de UFOs cruzou os céus da NATO (Organização do Tratado do Atlântico Norte). Isto deixou naturalmente muito abalado o comandante das forças aliadas na Europa. Felizmente, antes que o pânico se instalasse de vez, já que inicialmente temia-se que fossem os russos, a flotilha deu uma volta sentido norte e dasapareceu.
Assim, começou a investigação sobre este fato, gerando um documento cuja conclusão final foi que pelo menos quatro espécies alienígenas têm visitado a Terra por milhares de anos e, eu endosso esta visão atualmente.
Conversamos mais algumas vezes sobre este assunto no Serviço de Inteligência e defesa… Vou mencionar algumas…
Inicialmente nós os chamávamos de “eles” apenas, mas agora estamos falando em pelo menos de três espécies distintas.
No meu livro “Uma luz no final do túnel – um plano de sobrevivência para a humanidade”, eu menciono cinco espécies alienígenas. Mas, já recebi um documento mencionando vinte espécies, inclusive com as possíveis origens em Zeta Reticuli, Plêiades, Órion e Andrômeda.
Assim, não os chamo mais de “eles”, porque representam espécies distintas e não uma massa disforme. Para diferentes espécies, espera-se que tenham diferentes interesses, assim como acontece com os USA, China, Rússia, etc. (cada um com seu interesse particular). Talvez tenham até intenções parecidas, mas percebo que ainda assim seguem separados.
E, mais uma observação a fazer… Muito tempo foi gasto falando dos cadáveres dos anos 60 (dos extraterrestres em Roswell) e fico feliz ao ouvir Linda (outra palestrante) dizer esta manhã que há extraterrestres vivos na Terra hoje, com pelo menos duas destas raças trabalhando juntas ao Governo dos Estados Unidos.
Não muito tempo atrás me foi contado sobre os Tall White (extraterrestres brancos altos), relato que foi colhido por Paula Harris e trazido ao publico alguns anos atrás. Ela teve a oportunidade de falar com o piloto da força aérea Charles Hall que nos passou o fascinante relato de como veio trabalhar com estes seres a principio com muito medo, mas acabou desenvolvendo uma relação positiva de trabalho com os Tall White, em um rancho em Indian Springs, Nevada.
Os Tall White viviam em área da força aérea do Governo Americano e cooperavam com estas autoridades em constante transmissão de tecnologias, conforme descrito no seu livro “Millenial Hospitality”, em quatro versões distintas. A versão de numero dois parece-me a melhor, para quem quiser saber o que realmente passou naquele deserto.
O meu interesse aqui (nesta conferência) é a liberação total da informação, digamos 98% dela, porque uma ou duas coisas talvez, não possam ainda ser divulgadas. Assim, como crianças sobrevivem ao saber que Papai Noel e a Fada do dente de leite não existem, igualmente os cidadãos pagantes de impostos são capazes de conviver com a nova realidade – mais nova e ampla. O fato que vivemos em um Cosmo transbordante de vida de vários tipos.
Talvez, seja humilhante perceber outras civilizações mais avançadas, mas isto talvez seja um passo necessário.
O mundo está uma bagunça. Nós temos no máximo 10 anos para o aquecimento global antes de chegar ao ponto irreversível, como já escrevi em um meu livro. Dois anos já passaram e os nossos lideres nem tocam neste assunto, mais preocupados em fomentar guerras pelo controle do petróleo, aumentando assim a ameaça à paz.
Mesmo que levassem este assunto a sério (aquecimento global), estes líderes não teriam recursos necessários para executar a transição do petróleo para a energia limpa, porque o Ocidente está tomado por um tolo sistema financeiro bancário, com o Congresso Americano infelizmente detendo parte desta culpa.
Precisamos da tecnologia da energia limpa – ela já existe, mas está sendo escondida pela vontade daqueles que comandam o nosso destino. Quem são estas forças?
A comissão bancaria internacional, o cartel do petróleo, o cartel bancário e a comissão trilateral membros seletos de “organizações de Inteligencia” e militares selecionados especialmente, estão todos juntos no propósito de criar um governo oculto não só nos Estados Unidos, mas no Ocidente todo. 
Então, favorecendo os interesses americanos de mercado e de produção, o assim chamado “interesse nacional” representa os interesses da elite dominante constituída por este Conselho, onde o interesse do americano comum nunca fez parte da equação.
O senhor David Rockfeller declarou uma vez no encontro dos Bilderbergs na Europa: “gratidão ao Washington Post, ao New York Times e à revista Times que assistiram nossas reuniões, mas mantiveram discrição durante quarenta anos, sem a qual não conseguiríamos conduzir o mundo, se estivéssemos sob o jugo da publicidade”.
Observação – O Clube de Bilderberg é uma conferência anual não-oficial cuja participação é restrita a um número de 130 convidados, muitos dos quais são personalidades influentes no mundo empresarial, acadêmico, midiático ou político. Devido ao fato das discussões entre as personalidades públicas oficiais e líderes empresariais (além de outros) não serem registradas, estes encontros anuais são alvo de muitas críticas (por passar por cima do processo democrático de discussão de temas sociais aberta e publicamente). O grupo de elite se encontra anualmente, em segredo, em hotéis cinco estrelas reservados espalhados pelo mundo, geralmente na Europa, embora algumas vezes tenha ocorrido no Estados Unidos Canadá. Existe um escritório em Leiden, nos Países Baixos – Wikipédia, a enciclopédia livre.
Mas, o mundo agora “mais sofisticado” está pronto para caminhar para um governo mundial de soberania supranacional, onde uma elite de banqueiros é certamente preferível aos interesses nacionais, que já vem vigorando há séculos. Repórteres gabaritados confirmam esta suposição quando mostram a real intenção do Grupo Bilderberg e o que ocorre lá dentro.
Ninguém se alegrou mais do que eu com a queda do muro de Berlim, com a subsequente volta à liberdade no bloco oposto de países, no que me pareceu ser uma nova aurora de paz e de prosperidade por toda a parte, aparentemente uma oportunidade divina para um mundo livre. Porém, perdemos esta oportunidade única de fazer algo bom, quando um pequeno grupo de zelotes (instigadores ao poder pelas armas) estragou esta oportunidade de buscar a paz, estimulando novas guerras.
Sobre a liderança deste grupo são estimuladas novas guerras, quando é aplicada sua própria visão do que seria uma nova ordem mundial no chamado “projeto para o novo século americano”, incluindo guerras preventivas, violação de leis internacionais e mudança forçosa de regimes onde USA desejar, buscando a sua hegemonia cultural e econômica. Ainda mais, que este seu agir (hipócrita) fosse alcançado com a autorização das Nações Unidas e sem a violação dos tratados existentes. Tudo sendo acompanhado de uma corrida armamentista sem precedente em tempos de paz, bem como a criação de uma política secreta a favor dos cartéis, em detrimento das liberdades civis.
Em poucas palavras resumindo o já exposto, os Estados Unidos com a sua política externa é a raiz dos conflitos (entre eles os mais recentes com o mundo árabe mulçumano), tanto é que, depois de dez anos estamos com outra guerra nesta parte do mundo, que ninguém pode vencê-la porque nenhum país tem como se proteger de um ódio fanático (religioso), enquanto liberdades já conquistadas com dificuldade por alguns milhares que morreram por isto, vão pelo ralo. 
A única change de uma negociação de paz passa por mudanças de paradigma do governo americano, por exemplo, como o abandono do pleno de controle da energia e ainda, com a cooperação de toda a humanidade para construir um mundo para todos, onde os jovens aceitem a nobre causa de conter o aquecimento global e criar um sistema bancário sustentável, assim como aceitar a nova realidade que precisamos viver em harmonia com os nossos vizinhos celestiais, do mesmo modo que buscamos a paz na Terra, em um mundo onde precisamos ser seres espirituais e praticar a “regra dourada” que as religiões do mundo têm em comum.
O psiquiatra judeu John Mack, líder mundial na pesquisa de abduzidos e já falecido, disse em seu impressionante livro – Passaporte para o Cosmo: “embora os alienígenas não sejam deuses, os abduzidos relatam constantemente que os alienígenas estão mais perto da divindade do que nós, agindo como mensageiros, como anjos ou como guardiões e intercedendo em nossa comunicação com a Fonte Divina.

Fonte/vídeo
UFOs Aliens Disclosure Canadian Defence Minister Paul Hellyer….

——————————————–
  


Lista de seres extraterrestres, comparando-os com os seres humanos
Fonte: en.wikipedia.org/…/List_of_alleged_extraterrestrial_..

Os seres extraterrestres pemanecem (por enquanto) não identificados para a grande parte da humanidade, principalmente em termos de tecnologia existente ou fenômenos naturais, mesmo depois de rigorosas tentativas científicas de identificação.

Nome
Descrição
Imagem
AndromedansTambém chamado de “espelhados” ou de “vidro”Seres bi-pedal com muita energia e um pouco maiores que os humanos.   
Monstro flatwoodsHumanóide alto com uma cabeça em forma de pá  
Greys Também escrito “Grays” (em InglêsAmericano).Ainda chamado de “Zetas” ou “Zeta Reticulians”.Humanóides de pele cinza e geralmente pequenos 
Hopkinsville goblinHumanóide pequeno e verde prateado   
Homenzinhos verdesDiminutos humanóides verdes 
Aliens nórdicos Às vezes chamado de irmãos do espaço Inclui Pleiadeans / Plejarens Inclui Venusians Semelhantes aos seres humanos 
Reptilianos Alto, humanoides escamosos 
Alma: Em busca da nossa origem cósmica (vídeo)
Clique sobre o endereço abaixo: