Translate

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

É sabido o papel fundamental que o desenvolvimento da agricultura teve para os povos na Terra. Imaginemos, então, o que poderia significar a sua propagação em outro planeta. Pois é em direção a essa utopia interplanetária que os pesquisadores da Universidade do Porto estão olhando. Eles pretendem plantar sementes em um ambiente controlado em... Marte.
Os engenheiros de biotecnologia foram selecionados pela Mars One, fundação que pretende chegar ao Planeta Vermelho em 2018, para trabalhar em uma possível agricultura marciana. O projeto Seed começará com um protótipo do tamanho de uma caixa de sapatos, dividido em vários compartimentos, onde serão plantadas as sementes congeladas, que levarão três anos viajando de Portugal a Marte. Lá, sistemas de irrigação e de energia serão utilizados para dar vida aos brotos da “arabidopsis thaliana”, a planta escolhida para a missão.
Embora o sucesso da operação dependa de complexos variáveis (como a radiação e a diferença gravitacional), seu êxito significaria um passo enorme em relação ao desenvolvimento de vida no Planeta Vermelho. Na verdade, se o projeto Seed se tornar viável, Mars One instalaria a primeira colônia humana em Marte no ano de 2030.
Até então, os desafios para alcançarmos Marte são enormes, e por trás disso existem pessoas que forma uma equipe super capacitada que nos fará, primeiramente, escapar do planeta Terra.