Translate

segunda-feira, 16 de março de 2015

Conheça as pirâmides gigantes perdidas da China


No final da Segunda Guerra, o piloto norte-americano James Gaussman se preparava para completar uma missão de abastecimento de mantimentos e provisões para as forças do exército chinês. Repentinamente, uma falha no motor do avião o obrigou a retornar para a base de Assam, no norte da Índia, trajeto que, por segurança, ele realizou em baixa altitude. Pouco depois de sobrevoar a cidade de Xian, em direção ao sudoeste, Gaussman se deparou com a presença de uma pirâmide gigantesca. Surpreso, após passar várias vezes sobre a construção, ele tirou fotos e, junto com um relatório detalhado, as entregou aos seus superiores assim que regressou à base. O incidente ficou esquecido entre os arquivos da Força Aérea Norte-Americana, até que, 40 anos mais tarde, veio à tona por causa do escritor australiano Brian Cowley, que publicou uma das fotografias em seu livro. Em seguida, soube-se que aquela não foi a primeira vez que um piloto aeronáutico viu uma pirâmide do espaço aéreo chinês, nem o último.
Em março de 1947, depois de terminada a guerra, o jornal NY Times publicou uma referência ao avistamento feito pelo coronel Maurice Sheehan do seu avião, que sobrevoou uma pirâmide gigantesca, cujas dimensões descritas por ele chegariam aos 300 metros de altura e 450 de largura. Destaca-se o fato de essas proporções constituírem a maior pirâmide do mundo, fazendo a de Gizé uma verdadeira miniatura, com seus 147 metros de altura e 320 de largura. E enquanto a Grande Pirâmide do Egito conta com 52.900 metros quadrados de superfície, a chinesa superaria os 202 mil.
As testemunhas que afirmam ter visto pirâmides enormes na China são compostas, em sua maioria, por pilotos, e existem também fotografias muito recentes, tiradas por satélites espiões norte-americanos. No entanto, inexplicavelmente, as autoridades chinesas recusaram a existência de monumentos semelhantes. No início do século XX, exploradores e comerciantes, como os alemães Frederick Schroeder e Oscar Maman confirmaram a presença de não apenas uma, mas várias pirâmides situadas em torno da cidade chinesa de Xian. Além disso, algumas excursões europeias secretas conseguiram pegar amostras de objetos metálicos nas imediações das pirâmides, que, depois de analisadas, tiveram sua idade estimada em 8 anos. Mas a surpresa não acaba aí: o material metálico não pôde ser identificado até o momento, pois não é conhecido pela ciência moderna. 
Na atual era da tecnologia, as pirâmides podem ser localizadas no Google Earth com 34°21'47.16"N, 108°37'49.80"E e 34°21'42.48"N, 108°38'24.36"E 34.22
Fonte: History, USA Today