Translate

terça-feira, 3 de março de 2015

E se o universo continuar a se expandir para sempre?


Atualmente, tal como se descobriu no final dos anos 1990, o universo se encontra em expansão acelerada de forma crescente e todas as galáxias distantes escapam de nós mais rápido do que nas proximidades.Isso significa que, se seguir assim, "todas elas acabarão por aproximar-se da velocidade da luz" e que "ha galaxias no universo cuja luz nunca chegará até nós", diz um cientista espanhol.


"O horizonte de eventos cosmológicos parece uma esfera negra gigante, com um tamanho de 20.000 vezes a distância que nos separa da galáxia de Andrômeda. O que acontece para além deste horizonte será sempre fora do alcance de nossos instrumentos ", diz José Luis Fernández Barbón, pesquisador do Conselho Superior de Pesquisas Científicas do Instituto de Física Teórica e autor do livro "buracos negros".

O cientista espanhol afirma  sob a hipótese de que continua eternamente acelerada a expansão "vai acabar por ter todas as galáxias distantes" congelado "em nosso horizonte cosmológico, vai caindo, até que seus fótons de luz sejam tão fracos que não poderemos detectar "e que, nessa situação," a astronomia será desinteressante para os nossos descendentes ", já que para eles" a Via Láctea parecerá com uma ilha deserta, no meio de um universo vazio. "

"Vivemos em um tempo privilegiado, numa altura em que ainda podemos olhar para trás e vislumbrar as relíquias do Big Bang", diz o especialista.
RT