Translate

quinta-feira, 5 de março de 2015

Misterioso Castelo de Corais é um enigma para a engenharia

Josh McCord (14) sentado em uma cadeira feita de coral que Ed Leedskalnin esculpiu em seu Castelo de Coral em 1951. Ele entalhou e esculpiu em mais de 1,1 mil toneladas de rochas de coral como um testemunho de seu amor perdido, Agnes. Atualmente, engenheiros e cientistas ficam perplexos ao pensar como Ed realizou esta grande obra sozinho e sem a tecnologia moderna (Joe RaedleGetty Images)


Um visitante do Castelo de Corais vai ver um fantástico jardim de pedra, com pedras de coral entalhadas e blocos pesando dezenas de toneladas cada um. O mistério do jardim não está nos blocos, mas na forma como eles foram esculpidos e colocados no lugar.
Essa façanha da engenharia foi feita por apenas um homem, Edward Leedskalnin, que esculpiu, transportou e fixou todas as lajes e blocos sozinho, sem ajuda ou máquinas modernas. Ele usou apenas ferramentas manuais que comprou em um ferro-velho. Além disso, os blocos foram cortados e assentados com grande precisão, e estão fixos sem argamassa.
Leedskalnin, nascido na Letônia em 10 de agosto de 1887, era um homem quieto com cerca de 1,50 metros de altura e pesando pouco mais de 50 quilos. De alguma forma, ele conseguiu esculpir mais de 1,1 mil toneladas de pedras de coral, transportando as pedras a um distância de 16 quilômetros, e assentando-as com apenas um tripé de madeira, um trator emprestado e um caminhão.
Todo seu trabalho foi feito durante a noite, entre meia-noite e 6h, de acordo com o documentário ‘O Mistério do Castelo de Corais’. Sempre que alguém ia tentar dar um olhada em seu trabalho, ela estava em cima de sua torre de vigia e anunciava: “Assim que você sair, vou continuar meu trabalho”.
As pessoas podiam ver os blocos sendo transportados pela estrada, mas ninguém nunca viu Leedskalnin movendo, elevando ou assentando qualquer bloco. As únicas testemunhas foram duas crianças que supostamente viram Leedskalnin fazer um bloco “flutuar” até o local, como se fossem balões. O misterioso homem também é conhecido por suas extensas teorias sobre o magnetismo.
As paredes do Castelo de Coral pesam 2 toneladas por metro cúbico, e cada seção tem 2.4 metros de altura, 1.2 metros de largura e aproximadamente 1 metro de espessura, de acordo com o museu do Castelo de Coral. Pesando aproximadamente 30 toneladas, a maior pedra do castelo tem o dobro do tamanho de qualquer pedra usada nas pirâmides, de acordo com o documentário ‘Em busca do Castelo de Coral’.
Outra esquisitice do castelo inclui uma porta de pedra de 9 toneladas que se move facilmente quando pouca força é aplicada; uma criança poderia movê-la com facilidade. Um obelisco erguido com 28 toneladas é outra coisa curiosa, e uma pedra esculpida em forma de lua crescente em cima de um muro com 6 metros de altura também deixam os visitantes perplexos.
A história sobre a inspiração para o Castelo de Coral é a de um trágico romance. Quando Leedskalnin tinha 26 anos, ele estava noivo de uma mulher que o deixou um dia antes de seu casamento. Leedskalnin prometeu criar a estrutura como um símbolo de seu amor por ela.
As pedras foram extraídas de um local perto de sua casa na cidade de Flórida. Após uma potencial subdivisão ameaçar sua privacidade e a privacidade do castelo, ele comprou a propriedade em Homestead, na Flórida, a apenas 40 quilômetros de Miami, e ele movimentou todos os pedaços ao longo de três anos.
Leedskalnin começou o empreendimento próximo a 1923 e o terminou perto de 1951. Dos 40 anos até sua morte em dezembro de 1951, ele cobrava US $0,10 por cada visitante.
Epoch Times