Translate

quarta-feira, 11 de março de 2015

Restos de ancestrais humanos estão revolucionando a teoria da evolução


Os fósseis pré-humanos de 1.900  anos de idade, encontrado em uma província do Quênia, mostram que os ancestrais humanos eram muito diferentes do que se pensava.

Um grupo de pesquisadores liderados por antropólogos da Universidade de Missouri, EUA, encontrou restos de ancestrais humanos que podem mudar radicalmente as idéias da teoria da evolução, relata  The Daily Mail ' . Esta é  uma pélvis de 1900 anos atrás, e fóssil de um fêmur ,  que foram encontrados na província do Vale do Rift, no Quênia.

"Os restos dizem-nos que  a primeira espécie de nosso gênero Homo, eram muito diferentes do que nós pensamos.  Eles diferem não só em seus rostos e mandíbulas, mas também no resto do seu corpo ", diz o professor de patologia e ciência Universidade anatômica do Missouri, Carol Ward. Assim, as espécies observadas tem uma pelve e fêmur mais finas, acrescenta.

Por outro lado, a descoberta mostra que  nosso gênero teve o seu início muito mais tempo atrás do que se pensava, e que "muitas espécies dos primeiros seres humanos coexistiram um milhão de anos  antes de nossos ancestrais para se tornar uma única espécie Homo ".
RT