Translate

quarta-feira, 15 de abril de 2015

A Simbologia de Júpiter e Saturno – Uma visão Gnóstica


Falando do símbolo astrológico de Júpiter, sua forma fundamental é a cruz de quatro pontas, a «pedra» a esculpir na Grande Obra.
Esta cruz, com os seus quatro lados, nos recorda os 4 elementos físicos e seus 4 tattwas(símbolos entendidos como chaves para abrir portais), os 4 elementos químicos, os 4 elementos e cores da alquimia, os 4 corpos solares, os 4 caminhos e as 4 provas, as quatro etapas da vida do ser humano, as 4 estações da natureza e das raças, os 4 tipos de temperamento, as 4 entradas do palácio interior, os 4 ventos ou pontos cardeais e esotéricos, os 4 protetores da raça e tetra sustentadores do Universo, os 4 animais da alquimia e do Evangelho Solar, etc.

Todos estes “quatros” não são mais que a representação de energias, forças ou enteléquias que o ser humano deve desenvolver ou superar para poder realizar, dentro de si mesmo, o mistério do Santo TETRAGRAMMATON (nome de Deus em quatro letras) e que se escreve assim: IOD HE VAU HE.
“Estas quatro palavras nos levam à Nona Esfera, à famosa Frágua Acesa de Vulcano, lugar onde devemos levantar a Serpente Ígnea de nossos Mágicos Poderes” e que no símbolo jupteriano está representada, esta última, na linha que se levanta como um raio de luz que nos une com o infinito.
A Cruz, portanto, é o sublime monogramo do Logos, de Júpiter-Zeus, do Cristo. Ele é a Luz Astral, o Poder Crístico encerrado dentro de nós mesmos e que só desperta com a “Cruz”, com a “Magia Amorosa”, a qual os Astecas chamavam de “Quetzalcoatl”.
Júpiter-Zeus, sendo seu metal o estanho, nos indica a ductilidade, a expansão, é a Criação em si mesma, tanto encima como embaixo, por isso ele é o Verbo.
Saturno, o sétimo símbolo, está regido pelo chumbo, mas recordemos que existe o chumbo em estado grosseiro e o chumbo em estado coloidal, sutil, por isso rege os joelhos (o chacra dos joelhos) para indicar a força, o poder, o sustento, a base, mas sem soberba, com muita humildade que é o caminho para alcançar a Sabedoria e chegar ao Ancião dos Dias, a quem também representa.
Observemos que se invertermos o símbolo de Saturno, ele é, com uma pequena variação, similar ao de Júpiter, mas ao inverso, porque é o princípio, a primeira emanação do Absoluto, mas ao mesmo tempo, ao inverso, é a última, o Alfa e o Ômega, é o regresso para o ponto de partida original, a partir das mesmas forças (a Cruz e o Logos).