Translate

quinta-feira, 9 de abril de 2015

AMAZÔNIA INTERNACIONALIZADA


Nos intrincados planos para a implantação da NOVA ORDEM MUNDIAL, a floresta amazônica desempenha um papel estratégico. Conspirólogos brasileiros afirmam que os ESTADOS UNIDOS tramam desde 1816 para assumir o controle da floresta, rica em minérios e plantas medicinais. A paranóia nacionalista tem adeptos tanto na direita quanto na esquerda e você certamente já recebeu e-mails alertando sobre essa terrível ameaça à nossa soberania. Algumas mensagens eletrônicas trazem em anexo o fac-símile da página do livro didático Na Introduction to Geography, de um certo David Norman, que é supostamente usados nas escolas americanas e mostra o mapa do Brasil sem a Amazônia, tratada como área internacionalizada.
Bem, lamento decepcioná-lo, leitor paranóico, mas essa história é falsa. O jornal O Estado de S. Paulo de 2 de dezembro de 2001 apurou que o e-mail teve origem na comunidade acadêmica da Unesp e da UNICAMP. Não existe livro nenhum com esse título registrado na Biblioteca do Congresso e, além disso, o texto da página fac-símile evidencia que o autor tem precários conhecimentos da língua inglesa.
Mas isso não significa que a conspiração pela internacionalização da Amazônia seja falsa. Vários ecologistas americanos e europeus defendem essa idéia e existem óbvios interesses econômicos por trás de grupos que se definem como ambientalistas. Segundo o site Brasil.iwarp.com, mantido por militares brasileiros da reserva, o plano começou quando o FMI “forçou” o então presidente Fernando Collor de Mello a demarcar um imenso território de 94 mil quilômetros quadrados como reserva ianomâmi. Teria sido o primeiro passo para que, no futuro, a Nação Ianomâmi proclame a independência e exija a intervenção da ONU na região.