Translate

sexta-feira, 10 de abril de 2015

Caso K-11


O Sr. João David de Souza, mestre de obras, estava no terraço de cobertura de sua casa, em Nova Iguaçu, Estado do Rio, quando viu um objeto luminoso cair nas encostas do morro Maxambomba, próximo ao quilômetro 11 da rodovia Rio-São Paulo. A principio ele pensou que seria um avião teco-teco em pane. Ele percebeu que o objeto rodava como um pião e  soltava uma fumaça como se estivesse avariado. Ao cair, o objeto ficou em posição oblíqua. Pouco depois, entretanto, duas criaturas, pequenas, saíram do objeto e verificaram a parte externa do mesmo.
Logo após o incidente, João chamou seus filhos, Durval e Dilmar, e os amigos destes, Darci de Oliveira Pereira e João Procópio, para acompanharem o desenrolar dos fatos. Alguns destes seguiram em direção ao morro afim de prestarem os primeiros socorros à possíveis vítimas. Várias pessoas residentes no Morro da Igrejinha também testemunharam o incidente. Alguém avisou os bombeiros que logo se dirigiram para lá.
Quando a primeira equipe de socorro estava a aproximadamente 50 metros do local ocorreu um fato interessante. O OVNI começou a aumentar a intensidade da luz e a diminuir de tamanho até se tornar um ponto de luz, quando começou a fazer movimentos laterais, desaparecendo em seguida. Quando as pessoas chegaram ao local nada encontraram, nem mesmo vestígios no chão duro. Este episódio ocorreu no começo de abril de 1969 e ainda hoje constitui-se em um mistério.
Fenomenum