Translate

sexta-feira, 24 de abril de 2015

Treinamento sobrenatural para um desafio sem escalas: a preparação dos pilotos que cruzarão a Terra no primeiro avião solar da história


Para pilotar o primeiro avião solar da história, em uma missão que pretende dar a volta ao mundo praticamente sem escalas, são necessários um talento humano e um treinamento sobrenatural. A dupla de pilotos suíços que revezará o comando da aeronave de um só lugar por cinco meses, afirma que tudo isso é, na realidade, um verdadeiro “desafio humano”.

A primeira etapa, que cobre 400 km, de Abu Dhabi a Mascateen Oman, será feita em 12 horas, em uma velocidade média de 33 km/h. “O desafio é mais humano que técnico”, afirma André Borschberg, de 63 anos, que pilotará o avião durante a primeira etapa. Entre as muitas exigências, os pilotos ficarão horas a fio em uma cabine sem pressurização. “Tecnicamente, contamos com um avião que pode voar dia e noite, com uma resistência praticamente infinita (...) Temos um avião sustentável do ponto de vista energético, e a questão agora é como tornar isso sustentável também para nós, pilotos, na hora de sobrevoar o oceano por uma semana”, ele diz.
A fase que inclui a travessia oceânica será a mais demorada, cobrindo uma trajetória que vai desde Nanquim, na China, até o Arquipélago do Havaí, no Pacífico, ao longo de cinco dias. “Diante do desconhecido, devemos encontrar as soluções, sejam elas técnicas, humanas ou logísticas”, declara Bertrand Piccard, de 57 anos, o outro piloto do Solar Impulse 2. Piccard é descendente de uma família de cientistas e aventureiros suíços e foi o primeiro aeronauta a realizar uma volta ao mundo, sem escalas, em 1999. “(Na cabine do Solar Impulse 2) fazemos nossas necessidades, nos lavamos com toalhinhas, comemos e bebemos e fazemos tudo isto sentados”, explica Piccard. “O assento pode ser reclinado para descansarmos e, nessa hora, o avião fica no piloto automático, mas mantemos o controle da aparelhagem e continuamos em contato com os coordenadores aéreos da missão em Mônaco”, ele acrescenta. Os pilotos são treinados em ioga e auto-hipnose, o que lhes permitirá dormir profundamente por breves lapsos de 20 minutos e depois se sentirem como se tivessem descansado uma noite inteira.
Se quiser saber mais sobre essa travessia fascinante, acesse flightforthefuture.com