Translate

quinta-feira, 14 de maio de 2015

DOAÇÃO DE CONSTANTINO


Esta é com certeza, uma das maiores conspirações da história da humanidade.
Em 315, o imperador romano Constantino teria assinado um documento que outorgava ao Papa Silvestre I autoridade espiritual sobre todas as igrejas do Império e autoridade temporal sobre Roma, Itália e o Ocidente. Isso, na prática, dava ao Papa o poder de nomear e depor reis.
Constantino fizera a doação em agradecimento a Silvestre I, que o havia curado da lepra. Mas o documento só apareceu n´século 9 (500 anos depois de ter sido supostamente assinado) para justificar a pretensão papal de dominar politicamente a Itália Central. No século 15, o estudioso eclesiástico Nicolau de Cusa (1401-1464) descobriu que a doação havia sido forjada por volta de 760, provavelmente pelo próprio VATICANO. O documento contém erros grosseiros: concede ao patriarca romano a autoridade sobre Constantinopla, embora a cidade não existisse na época em que o texto foi supostamente redigido. A doação de Constantino acabou provocando o cisma entre a igreja romana e a ortodoxa oriental, que perdura até hoje.