Translate

terça-feira, 21 de julho de 2015

A ENERGIA PRIMORDIAL E SEUS DESDOBRAMENTOS:


FORMAS DE KI (ou VRIL)
A tradição sagrada nos ensina que mesmo que o Ki, a Suprema Energia, seja única, esta se expressa de diferentes formas ou sopros (vayu) mais sutis ou mais densos, como as cores do arco-íris, que são a expressão visível do puro branco da luz. Assim, poderíamos definir estas expressões do Ki ou do prana da seguinte forma, segundo a tradição:
• “Prana do alento” ou “sopro vital”: Este ki se expressa na inspiração que recebemos na respiração e que se estende desde o nariz à garganta, coração e aos pulmões. Absorve a energia solar ou fotónica. É um ki “vertical”, proveniente do espaço, da luz, do Sol e do oxigênio. Este ki se relaciona com a cor vermelho rubi. No passado, alguns de seus praticantes utilizavam uma técnica de respiração purificadora que permitia separar o ki do oxigênio, leva-lo até os centros superiores. Esta técnica sobrevive em algumas escolas de Aikido esotérico ou espiritual.
• A segunda forma de ki é samana, ou “alento médio”, ou “prana de assimilação”, que flui desde o coração ao plexo solar e com o processo digestivo e a assimilação dos nutrientes. Relaciona-se à retenção do alento. É uma energia de construção, de cura e de sustentação da vida. Diz-se que este ki será o responsável por elevar a energia até os centros superiores e “unir o Céu e a Terra”. Sua cor é o branco puro ou transparente como o cristal de rocha.
• O terceiro tipo de ki é apana, o “sopro ascendente”, relaciona-se à expiração (exalação) e era praticado pelos grandes ascetas e yoguis, pois se ocupa da excreção, e portanto da purificação dos órgãos, que na prática de yoga ou das artes marciais superiores é extremamente importante, pois com a expiração vem a eliminação dos resíduo tóxicos bio-químicos, resultantes da oxigenação e da digestão, limpando os diferentes nadis ou canais de energia, e os órgãos etéricos - uma verdadeira rede etérica formada por milhares de canais (bem conhecidos pelos acupuntores) que conduzem o ki ou prana. Sua cor varia do branco ao vermelho.
• Udana,é um sopro mais elevado, utilizado por yoguis e praticantes de mantrayama e kototama (a ciência esotérica dos sons), pois relaciona-se à voz, ao som, à linguagem e aos órgãos superiores, e ao corpo etérico. Com isto, entende-se a extrema importância em um estudante ou instrutor purificar seu verbo, suas palavras, pois a energia do ki irá diretamente a seu corpo sutil ou etérico, alimentando-o de vitalidade. Muitas enfermidades, sobretudo mentais, têm sua origem em um uso negativo das palavras. Por sua vez, este ki relaciona-se a certas glândulas endócrinas de enorme importância na vida espiritual, como a pineal e a pituitária. Sua cor é azul celeste.
• Vyana é o ki ou prana superior, é a soma dos anteriores, o total das energias prânicas. Relaciona-se ao processo de morte e renascimento. É através deste prana que os grandes lamas iniciados conseguem abandonar este mundo pela parte superior do crânio em plena consciência, sem atravessar os “planos intermediários”, ou bardos. Este sopro surge do “coração secreto” até o exterior em uma forma espiral. Sua cor é o dourado.
 “O Sol Negro”: