Translate

quinta-feira, 30 de julho de 2015

Caso Claudia


Cláudia chegara da Faculdade onde estudava há pouco tempo. Preparava-se para sair por volta das 23:30m. em uma noite de lua cheia. No caminho do ponto de ônibus na esquina das ruas Rosa Saporski com Mylto Anselmo da Silva no bairro das Mercês na cidade de Curitiba, encontrou alguns jovens que estavam observando alguma coisa no céu. Perguntou a eles o que estavam observando e eles lhe mostraram um objeto luminoso alaranjado. Disse-lhes que possivelmente se tratava de um balão, mas um dos rapazes afirmou que não poderia sê-lo, pois o tal objeto já estava estacionado naquele local há algum tempo o que lhes deixou intrigados. Ela dirigiu-se para o ponto do ônibus que era ali perto e continuou a observá-lo.
De seu ponto de vista percebeu que o referido artefato encontrava-se acima de alguns fios de luz. De repente o objeto movimentou-se da direita para a esquerda e rapidamente para baixo do fio de luz, voltando em seguida para o mesmo ponto inicial. Nesse instante, Cláudia foi a um telefone público das redondezas para avisar dois amigos seus sobre a observação quando escutou um dos garotos gritar:
- Está caindo!
Outro exclamou:
- Está crescendo!
Claudia imediatamente chamou um dos garotos e pediu para que ele ficasse com seu amigo ao telefone, para que ela pudesse observar melhor. O objeto aproximou-se e passou por suas cabeças permitindo que todos pudessem avista-lo com detalhes. Calcularam que ele chegou a uns 60 metros de altura. Era grande, redondo e cheio de luzes coloridas ao redor onde predominavam as cores azul, vermelho e amarelo. Parecia luz “neon”. O aparelho era mais claro no centro (enevoado) e apresentava pontas – três na frente e uma atrás – todas com luzes. Ficou em estado de choque, quando se deu por si avistou os garotos correndo atrás do objeto que se distanciava em direção ao bairro de Santa Felicidade (norte). O telefone estava pendurado fora do gancho. Ela gritou a eles dizendo que não adiantava, pois não poderiam alcança-lo. Nesse momento já no meio da rua pode observa-lo afastando-se e foi então que pode observar uma cúpula com fileiras de luzes intermitentes na parte superior do objeto. Em sua opinião ele era sólido. Seguiu em frente até desaparecer por sobre as casas da região. Calculou seu tamanho comparado a uma casa ou um caminhão. Lembrava que as luzes eram esfumaçadas.

Observação
Cláudia afirmou que após o incidente com o OVNI sentiu fortes dores nas juntas (ossos) que perduraram por pelo menos uma semana. Também notou que perdeu pelo menos três quilos naquele mesmo período.
Entrevistei três dos garotos que testemunharam junto com Cláudia o objeto. Nos depoimentos de Micaeti e Eduardo foram observados duas luzes amarelas que saíram do objeto para em seguida retornarem. Esse fato ocorreu quando André encontrava-se ao telefone, por isso não pode presenciar o ocorrido e Cláudia ainda estava em sua casa.
Um dos garotos de nome Renato ficou muito impressionado com o ocorrido e não quis ser entrevistado bem como não quis falar com seus amigos sobre o assunto.