Translate

quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Einstein estava errado? Os cientistas não conseguem detectar ondas gravitacionais


Pesquisas realizadas durante 11 anos por cientistas australianos não obtiveram êxito em encontrar ondas gravitacionais, estipulado na teoria geral da relatividade que Albert Einstein proclamou há 100 anos. As conclusões dos cientistas fazem  revisar de outras formas os estudos anteriores de galáxias e buracos negros.

Por 11 anos, os pesquisadores da organização científica australiana (CSIRO, por sua sigla em Inglês) e do Centro Internacional de Rádio Astronomia Research, localizada na Austrália, que tentam detectar ondas gravitacionais  pelo telescópio Parkes de alta precisão. Com efeito, os cientistas esperavam descobrir uma espécie de sons (rumor) na parte inferior das ondas, mas não tiveram sucesso.

A teoria geral da relatividade  de Albert Einstein  prevê a existência de ondas gravitacionais e considerou que elas carregam informações que permitiria os cientistas perscrutar o universo  e olhar para o seu início. Acredita-se que as galáxias crescem por fusão e no centro de cada um tem um buraco negro supermassivo. Quando as galáxias se juntam, os buracos negros se aproximam e formam um parceiro orbital. Em seguida, de acordo com a teoria de Einstein, as ondas gravitacionais através do espaço-tempo, o próprio tecido do universo são enviadas. A teoria de Einstein não foi refutada, mas os estudos mudaram a partir de outro ponto de vista.

Os cientistas não conseguiram detectar diretamente as ondas gravitacionais e podem ter várias explicações, entre as quais a velocidade de fusão de buracos negros. "Poderia ser por causa do gás em torno do buraco negro, criando atrito e desgastando a energia, deixando-o apertado muito rapidamente", disse o Dr. Paul Lasky, um membro da equipe de pesquisa e membro da Universidade de Monash , Austrália. Os estudos atuais poderiam revolucionar o mundo científico e servir para futuras pesquisas de astronautas.
RT

#Naty