Translate

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

AS CRIANÇAS DAS ESTRELAS


Star Children é o termo, em inglês, utilizado para descrever crianças que apresentam habilidades especiais, como uma inteligência além do normal, alto QI, habilidades diferenciadas cognitivas ou sociais, que são apresentadas desde os primeiros meses de vida, quase impossíveis de se explicar. 

Em quase todos os continentes e países existem crianças com estas habilidades, que parecem nascer com conhecimentos extraordinários. Muitos acreditam que estas crianças estão nascendo para nos preparar para uma nova era em nosso planeta, como uma mensagem de Deus para as mudanças espirituais e físicas que iremos passar nos próximos séculos. 
O que sabemos ao certo, é que nos últimos 20 mil anos, nosso DNA já se modificou de uma maneira absurdamente rápida, e que a cada geração, este salto de desenvolvimento se torna maior. Com isso, o número de crianças com estas características cresce a cada ano – não é à toa que você cansa de ouvir que “as crianças de hoje em dia são mais espertas” que no passado.
Na história da humanidade, temos milhões de exemplos de pessoas com habilidades especiais, cujos dons afloraram desde muito cedo, como Pitágoras, Picasso, Leonardo da Vinci, Mozart ainda, os casos modernos como Adam Kirbye, Sho Yano, diagnosticados com QIs acima do normal ainda na primeira infância. Entretanto, o que faz com que os estudiosos liguem estas crianças aos ETs, está na ligação mostrada pela história no desenvolvimento humano. Desde a Grécia ou Egito Antigo, existem relatos de crianças com habilidades especiais, muitas conhecidas como Semideuses, que foram concebidas pela união de um Deus com um humano. Se estes Deuses forem uma forma primitiva de se referenciar aos ETs, estas crianças teriam em seu DNA algo não humano, portanto, o que explicaria seus feitos e, os altos evolutivos na história.
A evolução de nosso DNA é um mistério para ciência, que justifica as transformações através de "mutações inexplicáveis" que apareceram do "além", fazendo os seres primitivos passarem à raça dominante do planeta.
Os estudiosos aqui acreditam que justamente a hibridização entre seres extraterrestres e humanos, ou experimentos genéticos feitos para gerar o homo sapiens, à partir de raças hominídeas primitivas, modificaram nosso DNA original, e por isso, somos a única espécie que conseguiu evoluir tamanhamente, o que faria com que todos nos fossemos, de fato, parte ET.
Assim, as crianças da atualidade podem ser exemplificadas como os representantes de uma nova raça que está sendo desenvolvida para a criação de um mundo melhor, ancorando maior frequência de luz e sabedoria. Cuidemos bem delas, pois elas vieram para cuidar do Planeta criando uma melhor realidade física!