Translate

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Os astrônomos decifram o segredo do planeta anão Ceres


De acordo com a teoria original da NASA, os pontos brilhantes misteriosos na superfície de Ceres, o menor dos planetas anões no sistema solar, eram de gelos. No entanto, os dados mais recentes da sonda Dawn, que está em órbita no corpo celeste, sugerem o contrário.

Em 2014 telescópio Herschel detectou vapor de água proveniente de Ceres, o planeta anão no cinturão de asteróides entre as órbitas de Marte e Júpiter. Essas nuvens de vapor geraram especulações sobre a presença de vulcões criogênicos ou outra atividade geológica no corpo celestial. No entanto, quando sonda Dawn lançada em 2007,  se aproximou do planeta anão os cientistas viram manchas brancas brilhantes em sua superfície cinzenta, Ceres tornou-se ainda mais interessante.

De acordo com a teoria original da NASA, os pontos brilhantes misteriosos poderiam ser devido a luz solar que reflete manchas de gelo, mas os cientistas recentemente receberam informações que contradiziam sua hipótese. Ceres é realmente geologicamente ativo, mas não pode ser manchas de gelo  porque refletem apenas cerca de 40 por cento da luz que incide sobre ele. Se fossem gelo eles refletiriam a maioria da luz.

De acordo com o relatório que o investigador principal da missão  Chris Russell apresentado no  Congresso Europeu de Ciência Planetária, diz que provavelmente são manchas de sal. "Sabemos que não há gelo e temos certeza de que é o sal, mas não sei exatamente o que é sal em outro planeta", disse o cientista. A nova descoberta é muito importante, porque a presença do sal seria um indicador da existência de água no planeta anão.

"Este é um bom indicador da existência de água, porque o sal não pode flutuar para fora do corpo em si, tem de ser transportado por líquido para alcançar a superfície", disse Chris Russell.
RT

#Naty