Translate

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Água Fluoretada é um Assassino em Grande Escala – Dr. Dean Burk

Água Fluoretada é um Assassino em Grande Escala
A fluoretação da água tem sido um tema de preocupação em crescimento do público ao longo dos últimos anos. Os céticos tendem a argumentar que não há nenhuma evidência que apoie a alegação de que a fluoretação da água é prejudicial à saúde humana. Se isto fosse verdade, por que é que os municípios no mundo inteiro estão a unir-se para banir o fluoreto do seu abastecimento de água? Comunidades na  AustráliaCanadá , Estados Unidos  e muito mais, estão convencidos de que o flúor pode ser extremamente perigoso para a saúde humana. Fluoreto de sódio, silicofluoride de sódio e ácido hydrofluorosilicic são todos utilizados em consultórios odontológicos, em pastas de dentes e práticas de fluoretação da água. São substâncias de resíduos tóxicos criados a partir dos processos de criação do adubo, aço, nuclear e indústrias de alumínio. Se você ainda acha que o flúor é bom para os dentes, poderá querer ler  isto .
Quem era Dr. Dean Burk?
Dr. Dean Burk era um bioquímico americano, que co-descobriu a biotina, uma substância química necessária para o crescimento celular, a produção de ácidos gordos e o metabolismo das gorduras e aminoácidos. Ele era o chefe químico do National Cancer Institute, parte do Instituto Nacional de Saúde no âmbito do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos EUA. Ele foi chefe de citoquímica no laboratório do instituto. Ele recebeu o Prémio Hilderbrand em 1952 pelo seu trabalho sobre a fotossíntese, e o Gerhard Domagk Prize em 1965 para o seu desenvolvimento de procedimentos para distinguir a diferença entre uma célula normal e uma danificada por cancro. Ele foi o co-desenvolvedor do protótipo do scanner de ressonância magnética nuclear. Ele nasceu em Oakland, Califórnia, em 1902 e morreu 1988. O seu estudo, “A Determinação de Enzimas Constantes de Dissociação(http://pubs.acs.org/doi/abs/10.1021/ja01318a036)”, publicado no Journal of the American Chemical Society, em 1934, é um dos trabalhos mais citados na história da bioquímica. Como você pode ver, este homem sabia a sua ciência!
Eu não acho que seja uma coincidência que ele tenha esperado até atingir uma idade mais avançada para falar sobre flúor. Esta entrevista foi gravada na Holanda na década de 1970, mais uma vez, nenhuma surpresa por ele nunca ter dado entrevistas como esta nos Estados Unidos. Hoje, o flúor é uma substância química tóxica conhecida. Se ingerir acidentalmente um pouco de sua pasta de dentes e for ler as instrucções, será normalmente aconselhado a solicitar apoio especializado. O governo não esconde o facto de que o flúor é tóxico(http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/ency/article/002650.htm) , o Dr. Dean Burk apresenta a sua pesquisa no vídeo, e afirma que a evidência não pode ser refutada. O flúor utilizado no abastecimento de água é veneno, não há nenhuma boa razão por que deve ser administrada há população, não importa qual a dose. Ainda para mais, nunca houve qualquer evidência que apoie a alegação de que a fluoretação da água trás benefícios para os dentes. Isto é especialmente interessante quando se observa que a saúde dental é melhor em regiões não fluoretadas do que em regiões fluoretadas.
“De facto, o flúor provoca mais mortes por cancro em humanos do que qualquer outro produto químico.
Quando se é detentor do poder não se é obrigado a dizer a verdade. Esta é uma regra que está a ser imposta neste mundo por gerações. E há um grande número de pessoas que não dizem a verdade quando estão no poder em cargos administrativos.
Água fluoretada é um assassino em grande escala.
É uma das evidências científicas e biológicas mais conclusivas que eu já vi nos meus 50 anos na área de pesquisa sobre o cancro.”