Translate

terça-feira, 17 de novembro de 2015

O Mistério da espada inoxidável de Goujian


Considerada um tesouro do estado, a Espada de Goujian foi descoberta em setembro de 1965, em Jiangling, Província de Hubei. A espada é tão lendária para o povo chinês como a espada do Rei Artur no Ocidente. Tendo sido enterrada, mesmo depois de mais de 2.000 anos a espada era muito forte e não oxidada. Além disso, ela contém algumas gravuras em baixo relevo e 11 círculos concêntricos situados a apenas 0,2 milímetros além da ponta do cabo. Parece quase impossível que tal uma maravilha de perfeição suprema possa ter sido construída há tanto tempo.
De acordo com Weisi Tan, líder da equipe de arqueologia responsável pela escavação, o tesouro foi encontrado em uma tumba do Período dos Reinos Combatentes (770-467 a.C.). A equipe encontrou uma caixa de madeira preta, no lado esquerdo do esqueleto, que abrigava uma espada de bronze com a bainha. Todo mundo ficou chocado quando um arqueólogo finalmente tirou a espada, que era extraordinariamente bela e brilhante. Quando um dos membros da equipe tentou tocar a lâmina, os dedos começaram a sangrar imediatamente após o contato.
A espada mede 55,7 centímetros de comprimento com uma lâmina de 4,6 centímetros de largura e 8,4 centímetros de comprimento da empunhadura. Cada lado da lâmina é decorado com turquesas. Na lâmina perto do punho, há oito caracteres antigos (tipo "selo") que se traduzem em: "A espada pertence a Goujian, o Rei do Estado de Yue".
Goujian foi um imperador famoso na história chinesa que reinou sobre o Estado Yue durante o Período da Primavera e Outono (770-476 a.C.). Apesar de seu reino ter sido derrotado pelo Estado de Wu, Goujian liderou seu exército para a vitória 10 anos depois, após a humilhação de dormir sobre lenha espinhoso e comer a bile de uma vesícula biliar a cada dia. Sua história se tornou muito difundida na China e alguns dizem mesmo que a espada é a arma responsável pela restauração de um estado derrotado.
Além de seu valor histórico, muitos estudiosos também estão interessados em saber a razão da espada estar livre de ferrugem em um ambiente úmido por mais de 2.000 anos, e como as decorações delicadas foram esculpidos na espada.
A investigação científica mostra que a espada é feita principalmente uma liga de bronze, composto por cobre, estanho e uma pequena quantidade de alumínio, ferro, níquel e enxofre, e o padrão em flor era provavelmente um resultado de sulfuração. A proporção de cobre e estanho também varia em diferentes partes da espada. O corpo principal da espada é composto por mais cobre, o que reforça a sua tenacidade, suas bordas (fios cortantes) são mais ricas em estanho, o que torna a espada muito afiada.
Na década de 1990, outra pesquisa revelou uma proporção elevada de enxofre em torno do padrão de flores e sulfeto de cobre, que é à prova de ferrugem. Análises feitas por pesquisadores, mostram que a lâmina da superfície têm vestígios de um tratamento químico utilizado para prevenir a ferrugem.


A espada de Goujian é um dos exemplos mais requintados da metalurgia antiga na China. Ainda hoje, a espada seria muito difícil de reproduzir.