Translate

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Para onde foram nossos deuses?


Se você acredita que seres de outros planetas vieram até a Terra em um passado remoto, deve ter percebido como eles se comportavam de maneira extravagante e, muitas vezes, arrogante. Desde criar cidades inteiras onde podiam ser cultuados como deuses pelos humanos, passando pelo uso de armas de destruição em massa, até o fato de se acasalarem com humanas que eles consideravam atraentes, é fato que esses seres viviam e faziam parte da história do homem primitivo. Então eles foram embora prometendo voltar um dia. Por que?
Por mais que hoje ainda haja relatos de avistamentos e contatos com seres de outros planetas, esses fenômenos são bem menos impactantes e discretos. Parece que eles querem se esconder da grande população, se mostrando apenas para alguns “escolhidos”. Onde estão as batalhas nos céus narradas em antigos contos hindus, ou naves do tamanho de montanhas planando sobre povoados antigos? Analisando o comportamento desses seres de antigamente com os de hoje parecem duas raças totalmente diferentes.
Falar sobre a verdade em um meio ufológico é um tanto despretensioso. Por mais que muitos dizem saber da verdade a carência de provas e informações nesse estudo torna quase impossível saber a verdade dos fenômenos ufológicos (acreditar em tudo é ingenuidade e não acreditar em nada é egoísmo), mas podemos levantar algumas hipóteses:
·         São duas raças diferentes: A explicação mais lógica, dado o comportamento praticamente oposto da abordagem com os humanos. Seriam os antigos “deuses” uma raça completamente diferente das que nos visitam hoje? Se for o caso onde estão os antigos “deuses”? Teriam sido dizimados por uma guerra, extintos por algum fator de fora ou simplesmente se esqueceram de nós? Seriam esses novos seres uma raça de cientistas que nos estudam evitando ao máximo o contato com nossa civilização?
·         Algum fator externo fez com que eles tenham que mudar sua relação conosco: Outra explicação perfeitamente cabível. Enquanto os antigos “deuses” desfrutavam de uma vida de luxo a nossas custas, uma terceira força pode ter observado todos esses acontecimentos como uma violação de algum tipo ou uma quebra de regras. Nesse caso nossos “deuses” sofreram alguma represaria e agora só podem se relacionar conosco de maneira branda e isolada. Apenas pequenos grupos nos visitam para estudos.
·         As histórias antigas são apenas lendas: Muitos podem discordar, mas não pode ser descartada. As lendas antigas de deuses e suas máquinas voadoras e armas terríveis não passam de estórias. O estranho é que vários povos relataram praticamente as mesmas coisas.
·         Fomos colocados em quarentena: Fizemos alguma coisa que nos isolou dos demais. Ou fizeram algo em relação a nós que nos colocaram em uma espécie de quarentena. Como nossa tecnologia não é suficientemente avançada é provável que nos colocaram em uma região silenciosa do espaço e nos observam. Talvez tenhamos alguma característica única ou sejamos jovens demais para sabermos da verdade. Pode haver um programa de desacobertamento de seres inteligentes que criam etapas conforme avançamos como uma civilização.
·         Somos especiais: Muitos textos antigos dizem que fomos criados artificialmente por outros seres. Talvez essa característica seja a primeira e única conhecida. Por sermos a única espécie orgânica criada artificialmente pode nos dar um status diferenciado e por isso não sabem o que fazer conosco (lembram do dilúvio?). Note que sermos espécies não nos coloca em uma posição superior ou inferior as demais raças. Somos apenas diferentes.
·         Diplomacia: Há um contrato entre os extraterrestres e algum grupo humano. Através de um programa de acobertamento mundial esse grupo seleto faz acordos tecnológicos em troca de algo. Parte deste acordo e serem os mais discretos possíveis.
Agora passo a palavra para os leitores do blog.  O que acham que aconteceu com nossos antigos deuses? Veem alguma verdade no que foi descrito acima ou tem uma outra hipóteses?
– Rafael dos Santos Ribeiro