Translate

sábado, 14 de novembro de 2015

THIERRY MEYSSAN


O FRANCÊS Thierry Meyssan, tem dois grandes inimigos: a organização católica tradicionalista Opus Dei e os americanos. Jornalista de esquerda, ele edita uma revista online chamada Rede Voltaire: www.reseauvoltaire.net e é autor de um polêmico livro sobre os atentados terroristas de 11 de Setembro de 2001 chamado L’Effroyable Imposture (Editions Carnot, 2002).
Sem ao menos se dar ao trabalho de visitar os Estados Unidos para colher informações e evidências, Thierry Meyssan chegou à seguinte conclusão:
1. O Pentágono não foi atingido por um avião, como divulgado, mas sim por míssil lançado por um grupo americano de extrema direita.
2. Este grupo de direita defende os interesses das indústrias bélica e petrolífera, que lucrariam imensamente com uma guerra contra o Islã – especialmente se travada no Afeganistão e no Iraque.
3. Osama Bin Laden é um agente da CIA desde os anos 80, quando os Estados Unidos financiaram a resistência afegã contra a ocupação soviética. As gravações de Bin Laden assumindo os atentados são uma manobra de desinformação.
4. A Al-Qaeda não é uma organização multinacional dedicada ao terror. Segundo Meyssan, não é sequer um grupo. É apenas uma base de dados (organizada por Bin Laden) com a ficha de todos os mujadjin que combateram os soviéticos a soldo da CIA.
5. Os aviões que atingiram o World Trade Center eram pilotados por controle remoto.
6. Naquele dia, 2.807 pessoas morreram nas torres gêmeas, local onde trabalhavam diariamente 30 mil pessoas. Isso provaria, diz o conspirólogo, que muita gente sabia do ataque e ficou em casa. Meyssan só não explica porque nenhum dos 27.193 sobreviventes abriu a boca para contar a verdade.
7. Muçulmanos jamais poderiam cometer atentados suicidas, pois o Alcorão proíbe o suicídio. Meyssan só não explica o boom de homens-bomba na Palestina. Deve ser outra conspiração.