Translate

quarta-feira, 23 de março de 2016

Astrônomos divulgam novidades sobre as manchas brilhantes de Ceres

ceres (Foto: Wikimedia/Emily Lakdawalla)
Ceres é um planeta-anão que fica no cinturão de asteroides, que fica entre as órbitas de Marte e Júpiter. Apesar de ser pequeno demais para ser considerado um planeta, o objeto de 950 quilômetros de diâmetro é o maior da região.
Por meio da sonda Dawn, de uma missão de mesmo nome criada pela NASA, muito tem se descoberto sobre o planeta-anão ao longo do último ano. Uma das maiores descobertas foi a presença de pontos brilhantes na superfície de Ceres. As manchas mais salientes ficam dentro de uma cratera chamada Occator, o que significa que houve atividade geológica mais recente.
Um novo estudo conduzido pelo astrônomo Paolo Molaro, do Instituto Nacional de Astrofísica da Itália, aponta a possibilidade de eles serem compostos por materiais voláteis que evaporam com a luz do Sol. O pesquisador chegou à essa conclusão após realizar observações com um telescópio em La Silla, no Chile.

Todas essas novas conclusões só mostram que Ceres provavelmente é mais ativa do que se esperava. Que o planeta anão continue a nos surpreender.Os astrônomos acreditam que os pontos fiquem mais brilhantes de acordo com a rotação de Ceres.Quando o objeto está em rotação e os pontos da cratera estão direcionados à Terra, eles são iluminados pelo Sol, formando colunas que refletem a luz da estrela. Essas colunas evaporaram rapidamente, perdendo o reflexo e produzindo mudanças. Esse efeito, no entanto, muda de noite em noite, o que significa que ocorrem alguns padrões estranhos, que ainda precisam ser estudados, nesse meio tempo. Assim teriam origem os pontos brilhantes.