Translate

quinta-feira, 5 de março de 2015

Misteriosa espada viking feita com tecnologia do futuro

Espada de Ulfberht exibida no Museu Nacional Germânico, em Nuremberg, Alemanha (Martin Kraft)


A espada viking de Ulfberht é feita de um metal tão puro que confundiu os arqueólogos. Pensava-se que a tecnologia usada para forjar tais metais só havia sido inventada 800 anos mais tarde, durante a revolução industrial.
Cerca de 170 Ulfberhts foram encontradas, datando entre 800 e 1000 d.C. Um documentário da National Geographic intitulado “Os Segredos da Espada Viking” mostra um estudo que foi feito sobre a composição metalúrgica da espada.
No processo de forjamento do ferro, o minério tem de ser aquecido a 1650° Celsius para liquefazer, permitindo que o serralheiro remova as impurezas (conhecidas como “escória”). O carbono também é misturado para deixar o ferro mais forte. A tecnologia medieval não possibilitava aquecer o ferro a tão elevada temperatura, assim a escória tinha que ser removida por esmagamento, um método muito menos eficaz.
A Ulfberht, no entanto, quase não tem escória, e tem um teor de carbono três vezes maior do que qualquer outro metal da época. Ela era feita de um metal chamado “Aço de cadinho”.
Pensava-se que os fornos inventados durante a revolução industrial foram as primeiras ferramentas para aquecimento de ferro nessa extensão.
A diferença de pureza é vista pela consistência do aço Ulfberht, quase livre de escória (Tela / NOVA / National Geographic)
A diferença de pureza é vista pela consistência do aço Ulfberht, quase livre de escória (Tela / NOVA / National Geographic)
O moderno ferreiro Richard Furrer de Wisconsin falou para o National Geographic sobre as dificuldades de se fazer tal espada. Furrer é descrito no documentário como uma das poucas pessoas capazes de reproduzir a Ulfberht. “É a coisa mais complicada que eu sei fazer”, ele disse.
Ele comentou sobre como o fabricante de Ulfberht poderia ter sido considerado como possuidor de poderes mágicos. “Ser capaz de fazer sujeira virar uma arma é algo realmente poderoso”, disse ele. Mas, para fazer uma arma que pode dobrar sem quebrar, se manter afiada, e pesar tão pouco é considerado algo sobrenatural.
Furrer passou dias trabalhando contínua e meticulosamente para forjar uma espada semelhante. Ele usou a tecnologia medieval, embora ele a tenha usado de forma nunca antes suspeitada. A menor falha ou erro poderia ter transformado a espada em um pedaço de sucata. Ele pareceu declarar seu sucesso com mais alívio do que alegria.
É possível que o material e o conhecimento tenham vindo do Oriente Médio. A rota de comércio de Volga, entre os assentamentos Vikings e o Oriente Médio, abriu na mesma época em que as primeiras Ulfberhts apareceram, e fecharam quando as últimas Ulfberhts foram produzidas.
Epoch Times