Translate

terça-feira, 7 de abril de 2015

As "zonas mortas" se estendem através do oceano e ameaçam a vida marinha


Os níveis de oxigênio no oceano continuam a diminuir devido ao aumento das temperaturas e a influência humana, que ameaça se transformar em um problema generalizado e alarmante. A falta de oxigênio provoca o aparecimento das chamadas "zonas mortas" que ameaçam o desaparecimento de muitos organismos.
As regiões do oceano com baixos níveis de oxigênio, conhecidos como 'zonas mortas' compreendem 10% dos oceanos do mundo, lembra Lee Bryant, professor da Universidade de Bath.

O aumento da quantidade de 'zonas mortas' é atribuída tanto ao aquecimento global, que altera os padrões de circulação das águas oceânicas e faz com que a temperatura da água cresça , e o impacto humano, que se manifesta em poluição marinha fertilizantes e pesticidas, enfatiza Lee Bryant.

Essas áreas podem causar danos significativos nos organismos aquáticos e até mesmo destruir ecossistemas inteiros. A falta de oxigênio, neste caso, faz com que as algas que o consomem se proliferem, causando sufocamento de invertebrados e peixes que ali habitam.

De acordo com o  estudo  da Universidade da Califórnia, o mar levou milhares de anos para restaurar os níveis aceitáveis de oxigênio a partir do último período de escassez deste gás. Embora o problema não parece estar intimamente ligado com o homem, a mudança irrelevante em ecossistemas oceânicos podem provocar consequências graves a cadeia alimentar e danos, em última análise, a humanidade.
RT