Translate

terça-feira, 7 de abril de 2015

Um cientista argentino explica a formação de Júpiter


Uma equipe de pesquisadores resolveu um dilema intrigante dos cientistas nos últimos 30 anos: a formação de planetas gigantes como Júpiter.

Pablo Benítez LLambay um investigador com doutorado na Universidade Nacional de Córdoba (UNC), Argentina,  desenvolveu um modelo que parece revelar dúvidas sobre a formação de Júpiter

A resposta de Llambay é um processo chamado de  "migração planetária ', um efeito que faz com que os planetas mudem de orbita e se aproximem de sua estrela.

Llambay, junto com seu diretor de teses, Frederic Masset, da Universidade Nacional Autônoma do México, tem tido em conta uma variável, como se forma o planeta: o gás e a poeira que o rodeiam vão caindo pela gravidade para dar passo a seu crescimento. Mas ninguém tem considerado que durante o processo se libera calor, que retarda a migração planetária , permitindo a formação de planetas como Júpiter. O mecanismo é chamado de "torque de aquecimento" (binário por aquecimento).

Se estima que a teoria de Llambay se aplicará em modelos posteriores de formação planetária, e que inclusive fará revisar trabalhos anteriores.
RT