Translate

terça-feira, 21 de abril de 2015

Programa controverso do Pentágono planeja implantar memória artificial em casos de lesões na cabeça


Um novo programa, desenvolvido pela DARPA (Agência de Projetos de Pesquisa Avançada de Defesa, do Pentágono), tenta suprir a perda de memória, causada por traumatismos cranioencefálicos, através do implante de dispositivos “wireless” no cérebro. A respeito disso, o chefe do programa na DARPA, Justin Sanchez, afirmou: “Precisamos de um dispositivo de nova geração, que ainda não existe (...) esse é o principal problema que procuramos solucionar com este projeto: implementar um ‘hardware’ que possa sanar a perda de memória daqueles que sofreram um traumatismo cranioencefálico”.

Denominado Restoring Active Memory (RAM), o programa inclui o desenvolvimento de tecnologias que suprirão artificialmente a perda de memória através da implantação de técnicas de “neuroprótese”, segundo informa a agência. O objetivo final é criar um dispositivo “wireless” neuronal, de fácil implante no cérebro e que possa decifrar os impulsos nervosos, interpretá-los e ajudar no restabelecimento da memória pelo estímulo neuronal.
Segundo estatísticas, o traumatismo cranioencefálico é um problema grave nos EUA, onde, desde o início do século, mais de 2 milhões de pessoas foram diagnosticadas com lesões deste tipo.
Fonte: RT