Translate

sábado, 25 de abril de 2015

Tornando o impossível uma realidade – Assim foi a construção de um avião capaz de voar, dia após dia, noite após noite, sem parar e sem utilizar qualquer combustível


Desde que o primeiro protótipo do Solar Impulse rasgou os céus, quando voou do Vale do Silício até Nova York, em 2013, foram realizados inúmeros testes. O sucesso dos resultados serviram para seguir ainda com mais confiança para o seu objetivo principal: dar a volta ao mundo.

Com uma envergadura de 72 metros, o Solar Impulse 2 é ainda mais largo que um Boeing 747. A aeronave também possui um total de 17.248 células fotovoltaicas espalhadas por suas asas, tão finas quanto fios de cabelo. A fuselagem, ultraleve e resistente, foi construída com uma técnica revolucionária, utilizando fibra de carbono. O material obtido cobre o avião por inteiro, com lâminas três vezes mais leves que uma folha de papel. A propulsão é gerada a partir de quatro motores ultraligeiros, que são 90% mais eficientes que os motores térmicos convencionais.
No total, o Solar Impulse 2 pesa 2.200 kg, o que o torna o avião mais leve já fabricado na história. E, no seu percurso ao redor do mundo, ele voará a uma altitude de 8.500 metros durante o dia e 4.800 durante a noite. A cabine foi especialmente projetada para acomodar os pilotos da forma mais confortável possível, embora alguns elementos de navegação tenham sido eliminados, de modo a economizar peso e espaço. Por exemplo, não existe aquecimento nem refrigeração, exclusões importantes se considerarmos que a temperatura externa oscilará entre -4º e 37ºC.