Translate

sexta-feira, 8 de maio de 2015

Descoberta científica faz aumentar as chances da existência de vida extraterrestre


De acordo com a ciência, que ainda não aceita a realidade das visitações extraterrestres à Terra:
As chances para a existência de vida extraterrestre cresceram após novas observações do espaço sugerirem que os oceanos podem ser comuns em planetas de outros sistemas solares (exoplanetas).
Os oceanos da Terra foram enchidos há milhões de anos pela água vinda de cometas e asteroides, acreditam os cientistas. E as novas observações de estrelas distantes no final de suas vidas indicam que tais ‘cargueiros de água’ são comuns por toda a nossa galáxia, a Via Láctea.
O Dr. Robert Raddi, astrônomo da Universidade de Warwick, no Reino Unido, disse: “Nossa pesquisa descobriu que, ao contrário de serem raros, asteroides ricos em água, similares àqueles encontrados em nosso sistema solar, parecem ser muito frequentes. Assim, muitos dos planetas podem conter um volume d’água comparável ao que existe na Terra. Acredita-se que a Terra era inicialmente seca, mas nossa pesquisa fortemente apoia a visão de que os oceanos que temos hoje foram criados como resultado de impactos por cometas e asteroides ricos em água.
Os cientistas usaram o Telescópio William Herschel, nas Ilhas Canárias, para detectar grandes quantidades de hidrogênio e oxigênio – elementos que constituem a água – na atmosfera de uma ‘anã branca’, que é que restou de uma estrela similar ao Sol.
Comet Ison which will graze the outer layers of the sun, approaching as close as 730,000 miles from the star's surface.
Cometa Ison, que irá raspar passou pelas camadas exteriores do Sol, se aproximando a 1.175.000 quilômetros desta estrela. PA
Esta foi uma evidência direta de que a água está sendo entregue para a estrela por um corpo celeste grande. O objeto seria similar a Ceres, o maior asteroide do nosso sistema solar, medindo 900 quilômetros de diâmetro.
A quantidade de água encontrada… é equivalente de 30 a 35% dos oceanos da Terra“, disse o Dr. Raddi.
O impacto de asteroides ou cometas que carregam água em planetas ou anãs brancas resultaria numa mistura de hidrogênio e oxigênio em suas atmosferas.
Grandes quantidades de ambos os elementos foram encontrados na atmosfera de uma anão branca, conhecida como SDSS J1242+5226.
O Professor Boris Gansicke, co-autor da pesquisa, também da Universidade de Warwick, disse: “O oxigênio, que é um elemento relativamente pesado, irá afundar com o decorrer do tempo, e assim, pouco após este evento de disrupção acabe, ele não mais será visível.”
Milky Way
Via Láctea: Novas observações das estrelas no final de seus ciclos de vida indicam que tais quantidades de água sejam comuns em nossa galáxia. Getty.
Em contraste, o hidrogênio é o elemento mais leve; ele irá permanecer boiando próximo da superfície de uma anã branca, onde pode ser facilmente detectado. Há muitas anãs brancas que contêm grandes quantidades de hidrogênio em suas atmosferas, e este novo estudo sugere que isto seja uma evidência de que asteroides ou cometas ricos em água sejam comuns ao redor de outras estrelas, além do nosso Sol.
A água é considerada como um pré-requisito essencial para a vida, tal como temos na Terra.
Muitos planetas têm sido identificados, os quais ocupam as órbitas ‘habitáveis’ ao redor de suas estrelas mãe, onde as temperaturas são amenas o suficiente para a água se manter no estado líquido em suas superfícies. Mas quantos deles realmente possuem água, ainda não se sabe.
A descoberta foi publicada no periódico Monthly Notices da Sociedade Astronômica Real (Reino Unido).
Vale observar que pelo menos duas das luas de Júpiter contêm água no estado líquido sob suas calotas de gelo, e estas estão numa região não considerada habitável da órbita solar. Assim, já que a água tem se provado abundante em nosso próprio sistema solar, a grande probabilidade é a de que bilhões de exoplanetas contenham oceanos no estado líquido em suas superfícies.