Translate

quinta-feira, 16 de julho de 2015

Objeto Misterioso


Caetano Sérgio Santos, de 27 anos, vigia noturno da Hidrelétrica de Caconde, não teve propriamente uma experiência direta com um OANI ou seus tripulantes. Às 5 horas do dia 17 de maio de 1968 ele voltava do serviço quando notou em frente ao seu casebre um estranho objeto brilhante. 
Temeroso de que fosse uma bomba, Caetano contou que inicialmente examinou o objeto de longe mas, ao perceber que não havia relógio, tentou pegá-lo com uma das mãos, não o conseguindo. 
Ao levantá-lo com as duas mãos, verificou que era parecido com uma lata de conservas medindo 17 por 16 centímetros. 
E apesar de o cilindro parecer de aço inoxidável e a tampa e o fundo serem de vidro, faziam uma junção tão perfeita que não descobriu a menor fenda, a menor intercepção. 
Descobriu ainda que na tampa havia um ponteiro preto e no fundo um vermelho. E ambos os ponteiros no zero, de uma numeração até seis, "acho que em dois alfabetos: um me pareceu 
árabe e outro não consegui adivinhar o que era". 
Sem mais pensar no caso, Caetano disse que guardou o objeto na separação entre a cozinha e o banheiro de sua casa sem forro e foi dormir. 
À meia-noite, ao pretender verificar como ia sua mulher à espera do terceiro filho - notou em frente ao seu casebre os vizinhos excitados, a mulher e os outros dois filhos chorando e um buraco no telhado. 
Segundo a esposa lhe contou, por volta da meia-noite ela havia sido despertada por um zumbido e uma luz muito forte vinda da cozinha, ao mesmo tempo em que o calor aumentava. 
Pensando ser um incêndio, pegou nas duas crianças e começou a pedir socorro. Então nesse momento, o telhado se rompeu e o objeto guardado pelo marido passou pela brecha, desaparecendo 
nos céus e na noite. 

(Correio Popular - 15/09/1974)