Translate

quarta-feira, 15 de julho de 2015

Sonda que passará por Plutão nesta terça leva cinzas do cientista que descobriu o planeta-anão


Parte das cinzas do cientista Clyde Tombaugh, que descobriu o planeta-anão em 1930, foram colocadas na sonda New Horizons, que faz sua maior aproximação do corpo celeste nesta terça-feira.
Algumas cinzas do astrônomo foram colocadas em uma vasilha anexada no interior da nave. A “urna” carrega uma mensagem de Alan Stern, que comanda a missão da New Horizons, com os seguintes dizeres: “ Internado aqui estão os restos do americano Clyde W. Tombaugh, descobridor de Plutão e ‘terceira zona’ do Sistema Solar. Menino de Adelle e Muron, marido de Patrícia, pai de Annette e Alden, astrônomo, professor, piadista e amigo: Clyde W. Tombaugh (1906-1997).”
A sonda passará a 12,5 mil quilômetros da superfície de Plutão, a distância mais próxima que qualquer nave conseguiu chegar do planeta. Os cientistas já receberam o último relatório da sonda antes de cortar sua comunicação para realizar o momento crucial da missão. Quando estiver mais perto de Plutão, a New Horizons irá capturar imagens e dados científicos do local e só retornará o contato com a Terra a partir das 21h (horário de Brasília) desta terça.
A sonda já enviou algumas informações prévias sobre Plutão. Segundo os dados, o planeta tem cerca de 2.370 Km de diâmetro, o que significa que tem uma densidade menor do que se pensava e mais gelo em seu interior do que cogitavam os cientistas.
A visita ao planeta-anão é um marco, uma vez que completa o reconhecimento inicial dos nove planetas clássicos do Sistema Solar. Com a expedição bem sucedida da New Horizons, todos os corpos celestes de Mercúrio até Plutão foram visitados ao menos uma vez por uma sonda. Além do planeta, a sonda também irá explorar suas cinco luas.
O GLOBO