Translate

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Submetem a substância mas densa da Terra a uma pressão récorde


Uma equipe de cientistas internacionais levou a cabo um experimento expondo a uma pressão extrema o ósmio, o metal mais denso do planeta. Sabe-se que os materiais mudam frequentemente as suas propriedades quando submetidas a altas pressões, no entanto, este ensaio revelou que, sob estas circunstâncias também alteram os elétrons interiores do átomo.

O ósmio tem a maior densidade de todos os elementos da Terra, mesmo quando sujeito a pressão normal e tem muito baixa compressibilidade, quase como um diamante.

O objetivo do experimento conduzido por cientistas internacionais liderados pela Universidade de Linkoping, na Suécia foi estudar mudanças na estrutura cristalina da substância sob a influência de uma atmosfera de pressão super elevada de 7,7 milhões, quase o dobro da pressão no centro da Terra.

"Neste estudo nós mostramos que podemos alcançar incríveis pressões elevadas e, portanto, controlar completamente o estado do material", disse um dos co-autores do estudo, o professor Igor Abrikosov.

Geralmente, a pressão extrema afeta significativamente as propriedades dos elementos químicos. Por exemplo, os metais podem tornar-se isolante transparente (de sódio), ao passo que os gases se cristalizam e tornam-se condutor (oxigênio). Desde o início, pensava-se que a estrutura cristalina do ósmio também mudaria, mas isso não aconteceu. Em experiências a alta pressão, a estrutura do ósmio manteve-se inalterada.

No entanto, como demonstram as medições e cálculos de cientistas, sob pressões extremamente altas, os elétrons internos do ósmio começaram uma interação.

Compreender materiais a alta pressão ajuda a simular os processos que ocorrem no interior dos planetas e das estrelas, bem como para sintetizar, de acordo com o jornal materiais da 'Natureza' utilizados em condições extremas.
RT

#Naty