Translate

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

RENNES-LE-CHÂTEAU


Pequena cidade do sul da França, localizada ao leste dos Pirineus e a 40 quilômetros de Carcassonne. Nada muito especial para turistas apressados. Mas as aparências enganam. Rennes-Le-Château tem papel importante numa das mais intricadas conspirações relatadas. Tudo começou em 1891, quando o padre da cidade, Berenger Saunière, resolveu reformar a velha igreja consagrada a MARIA MADALENA e construída em 1059. Saunière fez uma campanha junto aos fiéis, arrecadou algum dinheiro e começou a tocar a obra. Quando retirou a pedra do altar principal, percebeu que as duas colunas que o sustentavam eram ocas. Dentro de uma delas havia quatro pergaminhos escritos em latim. Dois deles continham genealogias e, aparentemente, datavam de 1244 e 1644. Os outros dois eram transcrições recentes (1780, possivelmente) do Novo Testamento. Os pergaminhos com trechos da Bíblia traziam duas mensagens secretas. Ou mais ou menos secretas, pois algumas letras estavam propositalmente elevadas em relação às outras para formar frases facilmente detectáveis. A primeira mensagem era simples:
"A Dagoberto II, Rei, e a Sião pertence este tesouro e ele está aqui morto”.
Dagoberto II foi o último rei da DINASTIA MEROVÍNGIA, que era supostamente descendente de israelitas que emigraram para a França. A segunda mensagem era mais com­plicada e seu significado permanece indecifrável:
"Pastor, nenhuma tentação. Que Poussin, Teniers possuem a chave. Paz 681. Pela cruz e seu cavalo de Deus, eu completo (ou destruo) esse demônio do guardião ao meio­-dia. Maçãs azuis”.
O padre Saunière colocou os pergaminhos debaixo do braço e foi a Paris conversar com autoridades eclesiásticas. Não se sabe o que aconteceu na capital francesa, mas Saunière voltou para Rennes-le-Châteaux com a carteira recheada. Ampliou a estrada que levava á cidade, construiu uma casa chamada Torre Magdala e uma casa de campo, Villa Bethania, que não chegou a ocupar. Além disso, o padre terminou a reforma da igreja e acrescentou detalhes bizarros à construção. A pia de água benta é sustentada por uma estátua do demônio ASMODEUS. Nos vitrais da igreja, que mostram a Via Sacra, há uma criança de kilt escocês observando a crucificação. Outra cena sugere que o corpo de Jesus está sendo retirado secretamente da tumba durante a noite. Para completar o mistério, o padre Saunière mandou gravar em latim no pórtico da igreja: Terribilis est Iocus est”. Traduzindo: "Este local é terrível”. As imagens da igreja podem ser vistas no site www.rennes-le-chateau.com
Alguns conspirólogos suspeitam que Saunière encontrou, além dos documentos, o tesouro secreto dos TEMPLÁRIOS. Outros afirmam que os pergaminhos, principalmente as genealogias, eram o próprio tesouro - e que o padre teria usado os documentos para chantagear o VATICANO. Que genealogia seria tão perigosa a ponto de ameaçar a Igreja?