Translate

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

A rara epidemia que assola a América Central pode estar relacionado com as alterações climáticas


Uma cidade na Nicarágua tem sido afetada por uma epidemia misteriosa que já matou mais de 20.000 trabalhadores, a maior parte do corte de cana de açúcar. A doença mortal, que afeta o sistema renal, pode estar diretamente relacionado à frequente ondas de calor resultado do aquecimento global.


A doença renal crônica que afeta os habitantes da aldeia na ilha, agora conhecida como "A Ilha das Viúvas", deixou milhares de vítimas desde 2002 e está sendo estudada por pesquisadores e várias entidades não-governamentais, Lila Shapiro aponta em seu artigo sobre "Huffington Post".

No início pensava-se que a doença estava diretamente ligada ao uso de pesticidas e metais pesados. Entretanto, o professor Richard J. Johnson, um especialista em doenças renais na Universidade do Colorado (EUA), considera que a elevada desidratação, surgiu como um resultado das temperaturas elevadas a que estão sujeitos os trabalhadores durante a época de colheita e a escassez de água potável pode ser a causa, relata Shapiro.

De acordo com Johnson, as temperaturas em algumas partes da América Central têm vindo a aumentar desde os anos 80, bem como o número de dias quentes por ano. Esta situação, juntamente com a escassez global de água, poderia ser uma epidemia mundial.

"Estamos preocupados que a mudança climática que pode ter grandes efeitos sobre a saúde. Se o estresse de calor é a causa da doença renal, isso poderia afetar todo o planeta, e as zonas particularmente quentes", explicou o pesquisador .

Atualmente, a ONG La Isla Foundation está desenvolvendo um plano de infra-estrutura através da qual os funcionários recebem água, repouso e proteção exigido para lidar com difíceis condições de trabalho por causa do calor.

"Até agora os resultados têm sido promissores: a função renal parece estar se estabilizando entre trabalhadores e sua produtividade aumentou em 40 por cento", disse Jason Glaser, co-fundador da fundação.
RT

#Naty