Translate

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Há um telescópio chinês em funcionamento na Lua


Era pra ter durado apenas um ano, mas um telescópio robótico chinês que aterrissou na Lua em 2013 ainda está na ativa. Apesar de medir apenas 15 centímetros de altura, o aparelho tem testemunhado coisas impossíveis de se observar daqui da Terra.
Em primeiro lugar, a rotação da Lua é 27 vezes mais devagar que a nossa, o que permite que o telescópio foque em uma mesma estrela por quase duas semanas a fio. A ausência de atmosfera na superfície lunar também muda tudo: de acordo com Jing Wang, do Observatório Nacional de Astronomia de Pequim, na China, isso significa que "a luz ultravioleta dos objetos celestiais pode ser detectada" pelo aparelho. 
O telescópio está acoplado à sonda Yutu, parte da missão Chang'e 3, que pousou em nosso satélite natural em dezembro de 2013. Desde então foram duas mil horas de trabalho e 40 estrelas monitoradas.
No início dos anos 70 os tripulantes da missão Apollo 16 tiraram fotos da Terra e de estrelas tendo a Lua como base, então essa não é a primeira vez que admiramos e estudamos o universo a partir de lá (uma imagem belíssima por si só). A diferença é que dessa vez o telescópio está sendo operado remotamente, daqui da Terra, o que torna ainda mais espantosa a duração do telescópio chinês, já que a poeira lunar é conhecida por prejudicar equipamentos eletrônicos, ainda mais aqueles que não podem receber a manutenção devida.
A equipe responsável pelo telescópio ainda está discutindo se ele continuará funcionando após o fim de 2015.