Translate

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Um fatídico 'mega-terremoto "dividirá a América e matará milhões de pessoas

Um anjo de pedra no telhado da torre principal da Catedral Nacional em Washington após o terremoto de 24 de agosto de 2011

O cientista nuclear Mehran Keshe prevê um "mega-terremoto" que irá mudar para sempre o mundo: o continente Americano será dividido em dois e milhões morrerão. O especialista define este evento como "inevitável".

O cientista nuclear iraniano Mehran Keshe diz que a América do Norte e América do Sul será dividida por causa de um grande terremoto e 'megatsunamis "que poderia" golpear América e Ásia matando 40 milhões de pessoas ". Para o cientista, o terremoto é "iminente", relata o portal Express.
A previsão é apresentada em uma gravação em que o especialista marca em um mapa vários terremotos que ocorreram nas Américas, três com magnitudes entre 6,6 e 6,9 nos EUA na costa oeste, três terremotos no Canal do Panamá e do recente terremoto de magnitude 8,3 que ocorreu  no Chile.
"Nós vimos o número de terremotos ao longo da costa oeste dos EUA ter aumentado", diz o cientista. "O continente sul-americano é o ponto de fraqueza. Haverá terremotos de magnitudes entre 10 e 16 e, em uma ocasião, um outro de magnitude entre 20 e 24", diz ele.
Como para as previsões sísmicas, os especialistas na Califórnia estimam que existe uma probabilidade de 99 por cento que tenha uma magnitude de 6,5 -pelo menos- dentro dos próximos 30 anos: o chamado "Big One '. A Fundação Keshe, chefiada pelo cientista citado e com sede na Bélgica, diz que a série de terremotos de magnitude entre 6 e 8,3 ocorreu no último mês constitui o início de um "mega-terremoto" que, em sua opinião, poderia ocorrer a qualquer momento entre agora e o próximo outono.
Ele também afirma ter descoberto como converter plasma eletricamente carregado no fornecimento de energia ilimitada na forma líquida, sólida ou gasosa. O cientista argumenta que,  este sistema iria se adaptar a maioria dos nossos problemas relacionados com a escassez de energia, alimentos e água devido a terremotos acabariam.
"A economia do mundo entrará em colapso. A ordem bancária não irá suportar um desastre. Espero que isso não aconteça dessa maneira, mas é algo que eu sei que é inevitável", acrescenta.

RT