Translate

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

A explosão do Planeta MALDEK contada pela mitologia grega:


- MITO DE FÁETON(Phaeton): O GRANDE CATACLISMO MUNDIAL
Faetonte (ou Fáeton), na mitologia grega, era o filho de Hélio e da ninfa Climene.
Nos primeiros Jogos Ístmicos, celebrados em Éfira (Corinto) pelos deuses Poseidon e Hélio, Faetonte foi o vencedor da corrida de bigas.
Hélio prometeu a Faetonte que daria a seu filho o que quer que este desejasse.
Um dia, desafiado por Épafo, pediu a seu pai as rédeas do carro do Sol. Hélio inicialmente recusou mas acabou por aceder, dando-lhe a indicação sobre que rota deveria seguir. No entanto Faetonte não conseguiu manter essa rota ora subindo demasiado e provocando oscilações nos astros ora descendo e arriscando-se a provocar destruição na terra. A fim de prevenir um desastre Zeus viu-se obrigado a fulminá-lo com um raio e Faetonte precipitou-se sobre o rio Erídano (identificado por Políbio como o rio Pó, no norte da Itália).
As Helíades, irmãs de Faetonte, assim como o seu amigo Cicno, rei da Ligúria, choraram a sua morte de forma que os deuses decidiram transformar as Helíades em choupos e as suas lágrimas em grãos de âmbar e Cicno num cisne eternamente a errar nas margens do Erídano.
Os gregos antigos chamavam de Faetonte ao planeta que hoje chamamos
de Júpiter.
Curiosamente, o denso cinturão de asteroides e partículas encontrado entre Marte e Júpiter é considerado pelos astrofísicos, como um provável planeta que explodiu, há muitos milhares de anos atrás.
Segundo algumas correntes científicas citadas no livro, o impacto gerador da destruição do corpo celeste existente, entre estes dois planetas, poderia ter causado um grande distúrbio geo-climático na Terra, devido a desestabilização que teria sido gerada.
Histórias sobre a ocorrência de um ou diversos cataclismos mundiais, abundam a literatura da maioria dos povos antigos, como por exemplo o da grande dilúvio que é encontrado, além do Antigo Testamento da Bíblia Cristã, nos mitos e escritos da Suméria e Babilônia, entre outros.
Histórias de cataclismos são transmitidas por tradição oral e escrituras de povos indígenas, acompanhados de evidências geofísicas e geológicas publicadas e reconhecidas pela comunidade científica.
Um desses incidentes, ocorridos na história da humanidade, é o narrado por Allan and Dellair, autores do livro “Cataclysm!”, nele eles definem o termo que deu nome ao livro:
“A calamidade da grande enchente afetou profundamente todas as formas de vida na Terra, incluindo o homem primitivo e por isso, propagou-se oralmente, sendo incluída na mitologia...”.
No livro, Allan and Dellair dão a data de 11.500 anos atrás, que geologicamente é relacionado com a última fase do período Pleistoceno. Segundo eles, este grande evento, seria o causador da destruição das últimas avançadas civilizações que existiram na antiguidade, cujos sítios arqueológicos vem sendo descobertos, desde o século passado.
Texto inspirado no trabalho do pesquisador e egiptólogo: Stephen S. Mehler.