Translate

terça-feira, 10 de novembro de 2015

Descobrem evidências de névoa ácida em Marte


Uma equipe de cientistas da Universidade de Cornell, EUA, descobriu vestígios de névoa ácida no planeta vermelho. Os especialistas sugerem que vapores ácidos podem ter comido as rochas em uma área específica das Colinas de Columbia na Cratera Gusev.


A descoberta de sinais que mostram a presença de névoa ácida em Marte tem intrigado os cientistas. A partir desta descoberta, os especialistas da Universidade de Cornell, EUA, reconstruíram uma explicação convincente de como vapores de ácido podem ter comido as rochas em uma área específica localizada nas colinas de Columbia, enorme cratera marciana em Gusev, informa "Geological Society of America".

Combinando dados de pesquisas anteriores do robô Mars Exploration Rover na superfície de Marte, alguns padrões interessantes foram encontrados. Assim, verificou-se que a composição química destas pedras, como é determinado no espectrômetro de raios X, é exatamente a mesma, mas as rochas pareciam diferentes, aparecendo algumas vezes menos cristalinas, mais amorfas, não estruturadas; tendência coincidiu com o tamanho das pequenas saliências chamadas clusters ou aglomerações.

Shoshanna Cole, principal autor do estudo, acredita que "foram formados a partir do mesmo material, começaram a aparecer" quando "algo aconteceu para ser diferente agora." "O espectrômetro mostraram que houve uma surpreendente grande variedade na proporção de ferro oxidado, como se algo tivesse reagido com ferro nessas rochas em diferentes graus", diz Cole.

De acordo com a hipótese sugerida pelo perito, é possível que o vapor de água ácida semelhante a névoa vulcânica corrosiva o 'VOG' ,erupções vulcânicas com minerais dissolvem para formar um gel. Assim, uma vez que a água é evaporada, poderia levar a estes grupos particulares da superfície marciana. "Isso teria acontecido em pequenas quantidades por um longo tempo", conclui.
RT

#Naty