Translate

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Veja como será a primeira casa marciana, projetada por um argentino


Os planos de colonizar Marte, uma velha fantasia da ficção científica, estão cada vez mais próximos de se tornarem realidade. O engenheiro aeroespacial argentino, Pablo de León, venceu, em agosto passado, um concurso organizado pela NASA para projetar o primeiro protótipo de um habitat marciano. A ideia é desenvolver um ambiente parecido com uma casa, onde os astronautas possam tirar seus trajes e se sentir mais confortáveis. 
De León explica que o local tem que estar preparado para suportar temperaturas muito frias, ar rarefeito, dióxido de carbono (que é altamente tóxico), radiação e a poeira marciana, que também inclui elementos tóxicos. O protótipo possui vários módulos independentes, alguns infláveis e outros rígidos, que serão utilizados como laboratórios, onde acontecerão as pesquisas científicas da missão. O módulo onde viverão os astronautas conta com pequenos dormitórios individuais, cozinha, banheiro e área de lazer. Além disso, há um centro de comunicações em contato com a Terra.

O projeto, que tem um orçamento estimado em US$ 1,3 milhão, será concluído em três anos e, em seguida, testado em território marciano, em missões que ocorrerão por vários meses. Depois dessa experiência, serão realizadas as modificações necessárias no projeto. A estadia em Marte será de 6 a 8 meses, embora a viagem completa leve 3 anos. A agência espacial americana planeja a primeira viagem tripulada ao planeta vermelho para 2030.